terça-feira, 29 de maio de 2007

A Capela de Santo António

Começou por ser um simples oratório no meio de matagais e carvalhais.Da sua existência já se falava em 1623.O ermitão António Dias Penedo ao morrer oferecia 40 mil reis em dinheiro para a construção da capela sob a condição de lhe rezarem missas perpetuamente.Mas já se fala em 1720,como existindo nos terrenos bravios de Manuel Nunes,mesmo junto ao acesso à feira,embora a confraria de Santo António,tenha existência mais remota.Foi o Papa Urbano VIII que concedeu bula papal à confraria em 7 de Julho de 1629.O altar-mor e a tribuna foram reparados pelo entalhador e dourador,Silvestre dos Santos,conservando a talha antiga,mas dando-lhe um novo aspecto artístico,em 1910.A actual imagem de Santo António teria sido a que foi inaugurada a 13 de Junho de 1909 por uma subscrição aberta aos "Antónios" de Freamunde a que concorreram 87 "Antónios".Dizia-se no regulamento da Confraria de Santo António que era"...costume todos os anos no dia 31 de Dezembro mandar dizer pelo Capelão uma missa por alma de todos os irmãos falecidos,convidando todos os irmãos e os pobres...a quem no fim será distribuido uma esmola de acordo com a situação financeira da irmandade...a esmola será denominada Pão de Santo António".Em 1936 e por exigências dum novo arranjo urbanístico de Freamunde,que tinha ascendido a vila,três anos antes,a capela foi desmoronada e recuada para um local a uns metros atrás.Curioso é constatar o cuidado e o zelo colocados neste feito,pelos homens,pois que "pedra sobre pedra" o monumento foi reconstruido tal como era,respeitando a sua traça oitocentista e original .A sua inauguração,já recuada,foi em 1938.A data coincidiu com a inauguração das novas escolas e da linha telefónica.A sua benção foi ministrada por D.António Castro Meireles.A capela é um edifício com uma só nave em abóboda,sobressaindo no fundo,por detrás dum altar de dourados e brancos,um painel com a figura de Santo António,a receber o menino.Do lado direito,está o o altar de Santa Luzia.
Todos os anos no dia 13 de Junho,realiza-se em Freamunde, a feira de Santo António.
Este é um povo de nobreza de carácter,que tudo faz pela sua Terra.
"Freamunde - Apontamentos para uma monografia"
Bem hajam,Freamundenses!
A Capela antes do recuo,em 1936.

A Capela depois do recuo,actualmente.

domingo, 27 de maio de 2007

A festa azul e branca em Anadia



Há dias que não se podem apagar da nossa memória colectiva,o dia 26-05-2007 é um desses dias!O fim de uma época em grande para o nosso SCFREAMUNDE.
Parabéns a todo o plantel.
Freamunde até morrer!

quarta-feira, 23 de maio de 2007

Personalidades Freamundenses-II



"Rosalina Oliveira nasceu em Freamunde,há 63 anos,onde casou,teve os seus filhos e exerceu a sua actividade de professora.Dedicou-se às causas da terra e a um variado conjunto de tarefas que vão da solidariedade à cultura,passando pela política.Sempre teve apetência pelas letras.Era vulgar ouvi-la dizer "Perco-me mais numa livraria que numa loja de moda".Foi directora de "Fredemundus-O Jornal de Freamunde",presidente da AALF-Associação de Artes e Letras de Freamunde,membro da Confraria do Capão de que foi sócia fundadora,vice-presidente do Fórum Freamundense e moderadora de "A Nossa Âncora-Apoio a pais em luto".
Livros publicados:
"Pássaro de Outono"(Poemas)
"Labaredas"(Poemas)em parceria com António Rodela
"Freamunde Monográfico-Passatempos"
"Caminhos"
Tem poemas em livros publicados por sua iniciativa como:
"Freamunde e o Sentimento Popular"
"Abraço"
Ajudou à concretização da edição da antologia de autores locais:
"Terras de Ferrara-nós e a paisagem"
Elaborou os textos e recolha para o livro"Freamunde-apontamentos para uma monografia" de António Torres Correia."
In "Caminhos"
A grandeza de uma terra mede-se pela grandeza dos homens e das mulheres que nela nasceram e nela viveram.Os grandes homens e as grandes mulheres fazem as grandes terras.O Povo de Freamunde é bairrista,trabalhador,amante do progresso,dotado de um forte poder criativo.A D.Rosalina Oliveira herdou todas estas qualidades e faz delas,na sua vida ,um ponto de honra e uma meta a atingir.Tem garra,tem fibra e domina perfeitamente,com a máxima perfeição,a lingua portuguesa."
O grande escritor françês Victor Hugo disse um dia:
"Servir a Pátria é metade do dever;
servir a humanidade é a outra metade".
De D.Rosalina diria:
"Servir a Terra é metade do dever;
servir a Pátria é a outra metade".
D.Rosalina serviu a sua Terra com grande entrega,dedicação e dever,e serviu a sua Pátria como divulgadora da língua portuguesa.
Esperemos que continue com a sua dedicação a Freamunde, para regalo e enriquecimento de todos nós que a admiramos!
Homenagem a uma grande senhora e a uma grande freamundense.
Um grande bem haja!

segunda-feira, 21 de maio de 2007

Rumo à VITÓRIA!!



Freamunde no coração..



A chegada dos CAMPEÕES!!



FREAMUNDE é assim!!



Indescritível!!!

Amo-te FREAMUNDE!!!

quinta-feira, 17 de maio de 2007

Personalidades Freamundenses - I








José Carlos de Vasconcelos,nasceu em Freamunde a 10 de Setembro de 1940.Fez o ensino primário e liceal na Póvoa de Varzim.Local,onde muito jovem começou a colaborar no semanário local "O Comércio",local onde dirigia uma página literária.Mais tarde foi para Coimbra,onde se licenciou em Direito e foi dirigente associativo na primeira metade da década de 1960.Nessa altura os estudantes portugueses tiveram papel importante na luta contra a ditadura.Foi presidente da Assembleia Magna da Associação Académica de Coimbra,a maior associação de estudantes do país, e também membro do Secretariado Nacional dos Estudantes Portugueses,na altura ilegal.Foi também chefe de redacção da Via Latina,orgão da AAC,dirigente e actor do teatro universitário e também chefe de redacção da revista cultural Vértice.Já licenciado,colaborou em vários jornais e revistas.Em 1966 foi para a redacção do Diário de Lisboa,onde trabalhou até 1971,exercendo em simultâneo advocacia!A partir dessa data,o jornal foi alvo da manutenção da censura.Depois desse acto,passou a exercer apenas a advocacia,não deixando no entanto de colaborar com a imprensa e o sindicato.Participou na discussão do Contrato Colectivo de Trabalho.Como advogado,defendeu numerosos democratas nos tribunais especiais da ditadura,acusados de «crimes de abuso de liberdade de imprensa».Participou em numerosas iniciativas da Oposição Democrática.Após a Revolução do 25 de Abril,regressou ao jornalismo,como director-adjunto do Diário de Notícias,na altura era o jornal português de maior expansão.Abandonou o jornal após o 11 de Março de 1975,em solidariedade com o director,que estava previsto substituir como director!Ainda exerceu ,por pouco tempo,funções de direcção na Informação da RTP.Foi durante longos períodos ,comentador político da mesma RTP.Foi um dos fundadores da Projornal,que dirigiu entre 1977 e 1985.Deixou esse cargo para ser candidato a deputado.Pertenceu ás Comissões Políticas das candidaturas do General Ramalho Eanes e de Jorge Sampaio.Foi um dos fundadores do PRD,deputado e vice-presidente do grupo parlamentar.Tem sete livros publicados.Fez recitais de poesia,umas vezes só,outras com o grande guitarrista Carlos Paredes.

Um Grande Senhor,sem dúvida!!

Este homem elevou bem alto o nome Freamunde!


Grande Freamundense!


Este homem merece....





quarta-feira, 16 de maio de 2007

Teatro






Sábado,dia 19 de Maio, vai acontecer Teatro..É de salutar,tal iniciativa!A Associação Cultural e Recreativa "Pedaços de Nós",vai levar ao palco,na Associação de Socorros Mútuos de Freamunde,pela primeira vez, a revista "Freamunde de Ontem e de Hoje".Com um elenco de 30 actores e actrizes e o Rancho Folclórico da Cidade de Freamunde,protagonizam a revista que retrata Freamunde no passado e presente.A encenação,coordenação e direcção da peça está a cargo de Vitorino Ribeiro.No dia de Natal de 1951,foi representada parte dessa revista com o título "Freamunde Coisa Boa".A peça sobe ao palco às 21.30,a não perder!É de enaltecer o trabalho e a dedicação que a Associação"Pedaços de Nós" tem vindo a efectuar ininterruptamente ao longo destes anos,num espírito de cooperação e desejo de fazer o melhor pela população de Freamunde!

Faço aqui uma homenagem ao Grupo!

Um bem haja!

Viva o Teatro.

terça-feira, 15 de maio de 2007

A nossa Bandeira


A nossa Terra é Freamunde,temos orgulho dela,cantamos bem alto o nosso Hino, com toda a força e determinação!
Temos orgulho da nossa bonita História,falamos dela com grande convicção e enriquecemos sempre a nossa memória.
É grande,o orgulho de ser Freamundense,já nascemos assim.
Somos uma Família singular.
A nossa bandeira é esta e nela nos devemos,todos,identificar,quer se goste,quer não!
Gosto dela porque é a minha bandeira,a nossa bandeira!
A minha bandeira é FREAMUNDE!

Orgulhosamente Freamundense

NASCI E VIVO EM FREAMUNDE.SOU ORGULHOSAMENTE FREAMUNDENSE,PORQUE SOMOS UM POVO BASTANTE UNIDO E LUTADOR,E TAMBÉM PORQUE NÃO DEIXAMOS MORRER AS TRADIÇÕES E TEMOS UMA IDENTIDADE PRÓPRIA.QUANDO ALGUÉM PERGUNTA DE ONDE SOMOS NATURAIS,DIZEMOS:FREAMUNDE!ENQUANTO SE PERGUNTAREM A OUTROS HABITANTES DE OUTRA FREGUESIA DIZEM SER NATURAIS DE PAÇOS DE FEREIRA.UM FREAMUNDENSE ASSUME-SE SEMPRE COMO FREAMUNDENSE E NUNCA COMO PACENSE!SOU DE FREAMUNDE E NÃO DE PAÇOS DE FERREIRA!ISTO IRRITA OS OUTROS HABITANTES DO CONCELHO....LAMENTO!!SEMPRE ME IREI ORGULHAR DE SER FREAMUNDENSE...SEMPRE!ORGULHO-ME DAS NOSSAS RAÍZES,DO NOSSO ESPIRITO EMPREENDEDOR,LUTADOR,DA NOSSA UNIÃO E DO NOSSO BAIRRISMO...E CLARO,DAS NOSSAS SEBASTIANAS!SOU ORGULHOSAMENTE FREAMUNDENSE E SEMPRE O SEREI..

sábado, 12 de maio de 2007

O nascimento do S.C.Freamunde


No início da década de 1930 qualquer espaço servia para dar uns pontapés na bola,fosse na rua ou em terreno baldio.
O Largo da Feira era quase sempre o palco predilecto dos pequenos garotos que com frequência quebravam os vidros das janelas das casas perto da Praça Pública.Ninguém ousava reclamar os prejuízos causados pelas bolas,mas por vezes a vizinhança reclamava.
Jogava-se à bola de manhã à noite!
Aos domingos,depois da missa,os aficcionados juntavam-se no Largo para assistirem aos jogos que as crianças realizavam.Era uma alegria quando alguém marcava golo!!Os curiosos batiam palmas...até o Abade!
O carismático Padre Castro - figura generosa e inteligente ao serviço das instituições locais,que tudo fazia,como na vida,com raça,com imaginação,com sabedoria,conhecedor que que o futebol atraía o operariado e a juventude,auxiliado pelo Dr. António Chaves,Armando Oliveira,Alexandrino Cruz e Francisco Carneiro,resolve fazer alguma coisa pelos filhos da Comunidade Freamundense,tomando a seu cargo o plano organizativo para a constituição de um grupo de futebol,pois nas redondezas já havia clubes similares.
O Padre Castro deixou-nos bem cedo mas viverá eternamente na saudade de todos e enquanto existir o clube a que ele votou a sua existência.
Era preciso encontrar um local para fomentar a actividade futebolistica,com algumas condições de higiene,era uma tarefa prioritária.A algumas dezenas de metros de distância do centro da povoação existia um terreno, dava na perfeição para erguer um campo onde fosse possível praticar futebol.Esse local era o lugar do Carvalhal.
Feitas as necessárias diligências e ultrapassadas as dificuldades,em pouco mais de seis meses nascia o Campo do Carvalhal.
Em 19 de Março de 1933 era fundado o Freamunde Sport Clube.
As cores originais do equipamento do clube eram o vermelho e branco.
Os primeiros atletas do clube eram chamados de "Onze Vermelhos".
A primeira equipa do Freamunde:Adelino"Claudina",António"Bica",Joaquim Pinto,Moreirinha,António"Careca",Neca"Couta",Juca"Careca",Zé"Careca,Zé"Bica",Alberto"Botas,Cândido Pinheiro,Arnaldo Pinheiro.
Inicialmente o emblema do clube era uma estrela com cinco vértices.
Em Novembro de 1935 é extinta a denominada Liga Invicta e o Freamunde Sport Clube filia-se na Associação de Futebol do Porto,preparando-se para entrar no Campeonato da Promoção.
A partir dessa altura o azul passaria a ser a referência predominante do seu equipamento,tonalidades que até hoje perduram.Também muda o emblema do clube para a estrela de seis vértices,"sósia" da Estrela de David.
À época 1938/1939 era o Presidente da Agremiação Ernesto Gomes Taipa.No comando técnico estava António Aloísio Correia.
Em 1939 rebentava a Segunda Guerra Mundial.O futebol em Freamunde,como em toda a Europa,atravessava uma grave crise.Portugal,que tinha optado pela neutralidade no conflito,nem por isso deixou de sentir os nefastos efeitos desse acontecimento devastador.
Findo o conflito,o futebol regressou à actvidade normal até aos dias de hoje.

Homenagem ao Padre Castro,o Fundador.

Fonte: Colecção de fascículos do Sport Clube de Freamunde.

Alma Freamundense

Grito de Liberdade;
Coração aberto;
Firmeza de convicções;
Simples e Solidária;
Filosofia espontânea;
Paiol aceso;
Grande alegria;
Rica por natureza;
Orgulho do passado;Confiança no futuro;
Braços abertos;
Garra;
Carácter;
Esta é a alma que faz de nós um Povo Singular!

Deixo-vos um Poema da nossa Alma:

O MEU FRACO É SER FORTE

O fraco que possa ter
aos olhos de quem me veja,
é ser o que eu quero ser
não o que querem que eu seja.

No caminho,a cada instante
aos meus ouvidos baixinho,
não falta aqui quem me cante
pra eu mudar de caminho.

Teime lá o que teimar,
quem me tenta desviar
que não o vai conseguir.

Não tenham pena de mim
eu sinto-me bem assim,
sei pra onde quero ir!...

Rodela

quinta-feira, 10 de maio de 2007

Mundo Novo

Caros Freamundenses,
acabei de entrar num Mundo Novo:A Blogosfera!
Sou novato na matéria,estou em fase de aprendizagem,mas digo-vos que estou a gostar imenso.
Cometi erros,mas é assim que se aprende..
Prometo que este blog vai melhorar bastante.
As postagens aqui editadas irão ser fundamentalmente sobre Freamunde:as suas figuras,actuais e antigas,a sua cultura,a sua história,etc..
Obrigado pelos comentários de encorajamento.
Quero aqui enaltecer a blogosfera Freamundense, principalmente a revolta dos capões,que foi pioneira e revolucionária!
Um bem haja a toda a blogosfera e a todos os Freamundenses.