segunda-feira, 30 de julho de 2007

Vaidade...e verdade

O amor à terra em que nascemos é,sem dúvida,um dos mais fortes sentimentos do Homem e,talvez,tanto ou mais vinculativo que o que sentimos por um ente querido.Por ela sentimos alegria e orgulho,nos momentos felizes e prósperos,decepção e tristeza,nas horas adversas da vida,nostalgia e saudade,na separação ou prolongado afastamento...Por ela somos capazes de tudo,dos maiores sacrifícios,dos gestos de maior abnegação,da mais desinteressada entrega,da defesa mais persistente,dos gestos mais heróicos e dos mais censuráveis,do ódio desenfreado,da incompreensível paixão,da mais vil mentira,do ridículo da lisonja,enfim:de tudo...Chama-se a esta predisposição para a exacerbada e incondicional defesa do lugar que nos serviu de berço ou,até,que só nos adoptou,mas ao qual nos acabamos por prender toda a vida,chama-se a esta maravilhosa entrega:BAIRRISMO!...Ser bairrista é ser verdadeiro,mesmo na mentira,é ser justo,até na injustiça,é ser honesto,apesar do prejuízo alheio...Ser bairrista nunca é censurável,pelo contrário:é ser digno da admiração,até,de quantos contra ele possam ter fortes razões,de quantos esse exacerbado bairrismo possa ter lesado...Um povo que luta por se engrandecer merece toda a consideração.Mas se esse engrandecimento se não justificar de todo e só acarretar ridículo a quem o consegue,então mais valerá não ter aspirações.Quando se fala em bairrismo,logo os olhares se volvem para Freamunde...que de tal sempre teve a fama,mas nunca o proveito...Freamunde,em questões de engrandecimento e enriquecimento local,há já alguns anos dorme um perigoso sono e inexplicável indiferença...Há uns anos atrás,assolou nesta região,a guerra do "móvel",em que diversas localidades se auto-proclamaram do mais diverso valor e autoridade sobre a matéria,matéria em que Freamunde sempre foi rei,nem esta guerra a fez acordar da letargia e meter a colherada...Paços de Ferreira diz-se "Capital do Móvel",Paredes intitula-se "Império do Movél",Sobrosa se nomeia "Coração do Movél"...Todas se querem do movél e qual delas a mais importante...Ora se a indústria do mobiliário,nesta região,foi em Freamunde que verdadeiramente nasceu,se aqui se criaram as primeiras fábricas,dignas deste nome,e se daqui essa indústria se expandiu por para toda a região onde se fabrica,porque não faz Freamunde e se auto-proclama,simplesmente..."O BERÇO DO MOVÉL"'??
FERNANDO SANTOS
"COISAS MINHAS"

quinta-feira, 19 de julho de 2007

"Fredemundus" - O "ex"-jornal de Freamunde

O jornal" Fredemundus" começou a aparecer nas bancas em 13 de Outubro de 1986 por iniciativa dum grupo de freamundenses que pretendia criar um elo de ligação entre todos e dar a conhecer melhor a sua terra.Começou por ser um mensário,mas por dificuldades várias acabaria por cessar a sua publicação em 1992.Em 19 de Abril de 2001,data que coincidia com o dia de elevação de Freamunde a cidade,acabaria por reaparecer nas bancas,agora como quinzenário e pretendendo manter a mesma linha editorial da primeira série.A sua editora era a prof.Rosalina Oliveira.De um momento para o outro,sem aviso prévio,a sua publicação é suspensa por tempo indeterminado!Um meio de comunicação social como o "Fredemundus",voz colectiva da cidade,embora não entendido por todos nesta globalidade,não pode parar de sair para as bancas.Um jornal tem uma responsabilidade social das maiores que existem no âmbito geral da sociedade.Tem de publicar ininterruptamente,visitar os leitores nos dias aprazados,mesmo que do céu desabe uma chuva de espetos.No campo da comunicação social a Internet tem o seu público,mas não é ainda suficiente para cobrir as necessidades gerais de um aglomerado populacional com as características de Freamunde.A comunicação em suporte de papel continua a ser preponderante por atingir todos os estratos sociais e grupos etários,pela facilidade de acesso,de manuseio,de acessibilidade,de transporte,de anotação e sublinhado.Mau grado a imprensa escrita estar em decadência por interesses de lucro empresarial,especialmente os diários e os periódicos de circulação nacional,os jornais de província poderão ser a inversão desta tendência ou,em última estância,a excepção à regra.O ressurgimento do "Fredemundus" seria a melhor notícia não impressa da sua história...se um dia cruzássemos os nossos olhos com os seus olhos azuis na nossa caixa de correio.


Parte deste texto foi retirado do "Nova Cidade de freamunde",orgão autárquico da CDU.Sem qualquer filiação partidária,achei por bem publicar parte deste texto,porque já há algum tempo tinha intenções de fazer um post sobre o "Fredemundus",e como concordo na totalidade com o que aqui está escrito...

Com uma nova funcionalidade do blogger,deixo aqui ao lado uma pequena sondagem...

Desculpem o mau estado do jornal.

sexta-feira, 13 de julho de 2007

O nosso ópio

Em tempos uma pessoa,que eu não sei quem é,disse que o futebol é o ópio do povo...e nós adoramos este ópio,nós adoramos o futebol.Obviamente que ser povo implica ter de se ter,por pura necessidade,algum ópio.Sim,hoje temos este ópio,mas é um ópio salubre,dá-nos a pedra de parecermos novos,numa vontade de,uma vez por semana,sermos mais humanos e mais sorridentes,levanta-nos de tal modo o ânimo até às estrelas que de repente já não estamos desempregados nem andamos tesos como carapaus!Vamo-nos viciar para lutar contra aqueles que não querem um FREAMUNDE,o nosso ópio, forte,coeso e disciplinado.Uma das formas de mostrar que estamos viciados , é comparecer em massa dia 25 de Julho no jogo de apresentação frente ao Boavista,é comparecer em massa nos jogos em casa,e fora quando possível, na época que se avizinha, é muito importante que se mantenha o mesmo ânimo e apoio que a nossa equipa recebeu nas últimas jornadas da época transacta.Ganhando ou perdendo, não podemos deixar esmorecer este vício.Depois de uma derrota ficamos todos tristes,mas é com as derrotas que surgem grandes vitórias.Vamos mostrar que estamos viciados neste ópio,como mostramos no Euro 2004 colocando a bandeira portuguesa nas janelas,nos carros,vamos colocar a bandeira do nosso ópio nas nossas janelas,nos nossos carros...Pergunto:será pedir muito?...Talvez seja...mas o que é certo,é que no Euro 2004 resultou...fomos à final,infelizmente não ganhamos,mas mostramos bem o quanto estamos viciados neste ópio,que alguém disse que é o ópio do povo.

O nosso ópio...


É saudável,não é?
Tornem-se viciados,eu já estou...sabem como me viciei?Inscrevi-me pra sócio e já adquiri o novo equipamento deste ópio que se chama FREAMUNDE.Estou definitivamente viciado!
Força Freamunde.

terça-feira, 10 de julho de 2007

Verdadeira loucura

Ao fim de cinco dias de verdadeira loucura,terminam as Sebastianas 2007!
Depois de uma noite de grande euforia,como a de ontem,com muito álcool à mistura(e encontrando-me eu ainda em fase de recuperação),e não encontrando palavras para construir um post como deve ser...deixo-vos uma pequena galeria de imagens da noite de ontem...
Quero apenas enaltecer o carro de homenagem a Fernando Santos(Edurisa Filho),um grande Senhor do Teatro Freamundense...parabéns aos autores deste carro por esta iniciativa.




Magnífico fogo de artifício...



A marcha na Rua D.Mercedes Barros...




Rua do Comércio,local de paragem obrigatória para os bombos...



Parabéns Comissão 2007.
Até pró ano Sebastianas...

quinta-feira, 5 de julho de 2007

Aí estão elas


Já se sente o cheiro a festas no ar...o ritual repete-se há várias décadas,como se fosse a primeira vez .Por estes dias,os freamundenses são apanhados numa panóplia de emoções festivas.As Sebastianas são um movimento de côr,música,luz que nos deixa o coração a bater mais calmo e mais aberto...Esperemos que S.Pedro não faça das suas e nos proporcione umas festas com excelentes condições atmosféricas...
Até já...encontramo-nos nas Sebastianas.