quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

2011 em imagens

Faltam dois dias para o fim de 2011. Aproveitando algumas das variadas imagens que por aqui passaram neste ano de 2011, destaco algumas para o "2011 em imagens". Um balanço de 2011...
 Fevereiro: A preto e branco
 Março: Carnaval 2011
  Outubro: Apenas uma imagem
 Novembro: Apenas duas imagens

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

A morte de próspero

 A morte de próspero - Opinião - Luís Filipe Borges
A crise reflecte-se por todo o lado. Este ano até os anúncios natalícios demoraram a chegar, batendo finalmente certo com a quadra ao invés de sermos obrigados a assistir a pais natais na telinha quando ainda estamos com os calções molhados da praia.
E pergunto-me: como será quando acontecer a enxurrada de SMS e mails em cadeia, de empresas a meros conhecidos, dos amigos do peito aos amigos virtuais, desejando boas entradas?
Vítor Gaspar ainda não o anunciou em conferência de imprensa, mas encontro-me convencido de que, nesta passagem de ano, assistiremos a uma morte. Esticará o pernil sem apelo nem agravo alguém que está connosco desde há muito: o adjectivo ‘Próspero’. Honestamente, só o consigo imaginar inserido nos amigáveis votos alheios ou por manifesta distracção ou requintado sadismo. ‘Próspero Ano Novo’?! Como? Mais vale um realista ‘assim-assim’, um ‘2012 dentro do possível’ ou quando muito um singelo ‘olhe, que não venha a pior’. Sim, pela primeira vez na vida, e embora tentem escondê-lo, os foliões estarão tristonhos por deixar partir – apesar de tudo – o Ano Velho.
II – Benfica/Sporting é p’ra meninos
As gentes do Norte não recebem de braços abertos, abraçam-nos mesmo é com o coração.
No espaço de poucos meses tive a segunda oportunidade profissional a convite do concelho de Paços de Ferreira, um dos mais jovens do país e onde a dinâmica cultural pede meças à sua mais conhecida frente comercial (Capital do Móvel). Desta vez estreei-me em Freamunde, sob o pretexto de leccionar um workshop intensivo de Escrita Criativa – 10 horas – com o propósito final de produzir textos que este vosso escriba leria no Jantar do Capão à Freamunde, uma tradição com 20 anos. A do repasto, claro, pois a da iguaria certificada remonta aos romanos, tendo surgido quando um poderoso Caio Cânio com sono de diva ordenou que aniquilassem todos os galos de modo a que o seu cacarejar jamais incomodasse o tempo de qualidade passado com Morfeu. Ora sucede que as pessoas apreciavam os seus galináceos e vieram a optar por uma solução bem menos genocida, caparam-nos. Meses depois, descobrem que os robustos, muito maiores e bem alimentados neo-galos, não cantantes, naturalmente não reprodutores e por isso agora capões, davam um bigode de suculência ao mero frango. Vitória, vitória, acabou-se a história – ou será que não?
Para meu espanto vim a descobrir que a rivalidade Paços/Freamunde faz a eterna disputa Benfica/Sporting parecer um entretém de meninos na creche. Paços é sede de concelho, Freamunde tem mais gente. Paços é o império do mobiliário, Freamunde orgulha-se do capão. Há quem se recuse terminantemente e uma vida inteira a pôr os pés em Paços e, se porventura tem de lá passar numa viagem de autocarro, tapa os olhos com as mãos. Nelson, senhor de idade e personagem carismática, confrade do capão, conta-me a seguinte anedota: dois operários da construção civil trabalhavam longe da sua terra quando, numa pausa, perguntou o Jacinto ao Almeida: - Olha lá, para ti quais são as três cidades mais importantes da Europa? Responde o segundo: - Hmm, talvez Londres, Paris… e Freamunde. Pausa de Jacinto antes de retorquir: - Sim, concordo… mas não por essa ordem!
Quando Paços e Freamunde se defrontam no futebol, garantem-me, o derby Braga-Guimarães ruboriza-se. E meia dúzia de pessoas, divididas em quotas iguais por pacenses e freamundenses, contam-me este episódio com as mesmíssimas palavras: um indivíduo de Freamunde foi concorrente no Preço Certo – quando Fernando Mendes lhe perguntou onde fica, respondeu: - Olhe, Freamunde é entre Lousada e Penafiel…
Uma espécie de versão Vale do Sousa do shakespeariano Romeu & Julieta, contemporâneas famílias desavindas mas com o bairrismo temperado por uma bombástica dose de humor. Ao verem o escriba e a namorada de anéis iguais, logo me avisam: - Meu amigo, aqui, quando após dois ou três anos de casamento ainda não há filhos… metem-lhe logo um capão à porta. E de novo o inefável confrade Nelson dispara: - Desde o D. João V que não há um maricas em Freamunde! – e troveja numa gargalhada.
Acresceu sobremaneira ao encanto deste fim-de-semana intenso o facto de termos ficado instalados numa quinta com 145 anos, a da Vista Alegre, na mesma família desde sempre e hoje gerida por EdiLaGreca – uma italiana incansável e gentil que, dir-se-ia, mais do que nos fazer sentir em casa, faz de nós proprietários da mesma. É neste hotel rural que se revela o segredo para o sucesso do IKEA – no concelho há uma fábrica da multinacional responsável por empregar cerca de 2.000 pessoas, e estão bem habituados a hóspedes suecos de meia-idade, barulhentos e bebedolas. Alguém diz que o seu método/imagem de marca só pode ter nascido assim – bebem e não aguentam, por isso concluíram: Oh pá, façam vocês mesmos e montem esta treta em casa!
Desconfio que o mau vinho dos senhores suecos se deve a ainda não terem provado o Capão, incompatível com zurrapas. E deixo o leitor com a ideia para uma campanha publicitária fictícia, tida por alguns alunos do workshop: um avião sobrevoa o concelho despejando milhares de pequenos testículos de esferovite. Ao apanhá-los do chão, uma pequena vinheta destaca-se – e o transeunte lê: ‘Eles perderam-nos por uma boa causa. Jantar de Gala do Capão à Freamunde. Agora veja lá se não falta’.
In Jornal Sol

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Feliz Natal


Um Feliz Natal a todos os visitantes do Freamundense.
FELIZ  NATAL.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Torna o teu Natal mais azul

Este fim-de-semana nos vários jogos em casa do Sport Clube de Freamunde, vamos encher as bancadas com gorros azuis! Os gorros estarão à venda antes e durante os jogos, e na Loja Azul.
Adere a esta campanha do Sport Clube de Freamunde...
Torna o teu Natal mais azul!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Lançamento de livro e exposição de pintura

 
As instalações da Tribuna acolhem, este sábado, dia 17, pelas 17 horas, mais um evento cultural multifacetado, onde as letras, as artes plásticas e a música se conjugam e cruzam a preceito e de forma harmoniosa.
A jornada tem como epicentro o lançamento de uma antologia literária, comemorativa dos 15 anos de vida literária do escritor José Carlos Sousa Villar.
Esta obra, que tem a chancela das Edições Tribuna, consta de uma compilação de textos seleccionados e prefaciados pela crítica literária e docente Isabel Moringa, a que acresce um conjunto de poemas inéditos.
Acto contínuo, abre ao público uma exposição de pintura, à base de óleos sobre tela, de formato superior, da autoria do reconhecido pintor Domingos Faria, licenciado em Design de Comunicação pela FBAUP e exerce a sua actividade de criação artística em vários domínios, desde a pintura ao design de comunicação.
Nesta mostra, subordinada ao tema "O Rapto do Sonho" o artista apresenta-nos nove quadros com títulos tão sugestivos como Volúpia, Paixão, (Com)Posição, O Rapto da Europa, entre outros.
A entremear ambos os actos, os presentes serão obsequiados com momentos de rara performance musical, a cargo da dupla Hélio Ribeiro e Cristina Castro, dos "Pé na Terra", um grupo de Folk, música em vertiginosa ascensão nacional.
Três motivos, pois, mais do que suficientes, para se passar uma tarde de sábado agradável, a jorrar cultura, à boa maneira de uma tertúlia-convívio entre protagonistas de sensibilidades dispares mas objectivos afins.
Em comum, uma convergência sócio-cultural digna de todos os encómios!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Freamunde. net

Foi recentemente criado um novo portal sobre Freamunde: Freamunde.net, da autoria de Fernando Andrade. Este novo portal foi criado com a finalidade de divulgação e promoção de Freamunde. Um portal onde as diferentes associações de Freamunde poderão ter um papel activo na criação e promoção de eventos, e também de divulgação do património e história de Freamunde. O portal ainda está em fase de iniciação, precisa de conteúdos. Todos os interessados, podem de uma forma ou de outra participarem e ajudarem na dinamização deste novo portal.
Visitem e participem neste novo projecto...

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Feira dos Capões / Santa Luzia 2011

Em dia de Santa Luzia...
Quando "cresce a noite e minga o dia..." é mesmo, dia de perder a noite. Sobretudo se choveu pela Senhora da Conceição, cinco dias antes. É que lá diz a sabedoria avessa a livros mas de boas graças com a realidade que «Conceição de chuva, Luzia de sol...Conceição de sol, Luzia de chuva...»
Seja como fôr, com sol, ou com chuva, Santa Luzia te guia como a milhares de pessoas para Freamunde. A um espectáculo popular com origens perdidas nas raízes dos tempos e único neste país e mesmo na Europa. Onde há que vir e estar com olhos de ver porque também para tal Santa Luzia dá uma ajuda.
A 13 de Dezembro de cada ano, dia festivo de Santa Luzia, padroeira das doenças das vistas - ela própria a abrir os olhos a quem, por má intenção ou desatenção, não queira ver que se encontra perante um espectáculo único em todo o país.
Com efeito, em mais nenhuma feira portuguesa o capão impera e a justifica: só em Freamunde. E de longa data assim é...
Capão
O Capão de Freamunde, ex-libris de Freamunde, é um frango proveniente de estirpes de crescimento lento, do tipo Atlântico da raça Gallus domesticus, castrado antes de atingir a maturidade sexual e que se destina esclusivamente à produção de carne.
O acto de capar remonta ao tempo dos Romanos. Consta-se que o Cônsul Romano Caio Cânio, cansado da perda do sono por causa do cantar dos galos, conseguiu fazer aprovar uma lei impeditiva da existência destas aves na cidade de Roma. Sem contrariar a lei, houve logo quem se lembrasse de uma forma de continuar a usufruir da carne dos galos, capando-os. Terá deste modo surgido uma nova "espécie", o capão, que ultrapassa em beleza, tamanho e sabor, o galo macho. O "voto" de castidade concede ao animal um ar triste e envergonhado, mas torna-o gordo, opulento, dotado de uma carne tenra e das mais saborosas de todas as aves.
Com a romanização de todo o território do Noroeste Peninsular e com a criação dos pequenos aglomerados populacionais sobre a jurisdição Romana, a tradição de criação do capão foi passando de geração em geração.
A Feira do Capão...
Se bem que a instituição oficial se tenha verificado em 1719, por uma provisão d'El Rei D. João V, datada de 3 de Outubro desse ano e "rezestada na Chancellaria Mor da Corte e Reino no livro dos officios e Mercês a folhas quarenta e oito : (em) Lisboa Occedental (a) dois de Novembro de mil setecentos e dezanove...", já alguns séculos antes a prática de capar frangos e de os comercializar era tradição na "freguesia de Salvador de Friamunde de Honrra de Sobrosa Concelho de Aguiar de Souza Comarca do Porto..". Estudiosos indicam-no como costume medieval, de que há mesmo notícia em documentos do Séc. XV, muito anterior, portanto, à provisão atrás citada a qual, no fundo, não mais visava do que a sua legalização e a defesa dos interesses da Confraria de Santo António, em cujo terreiro as feiras se realizavam e das quais pretendia auferir proveitos.
O melhor da feira, e que lhe granjeou fama e popularidade, é o imenso mercado de aves. Se o capão é o rei da festa, com justiça se poderá dizer que o perú - que à feira também ocorre em numerosos bandos - é a sua vistosa e majestosa corte. Este enorme arraial de emplumados empresta à feira um generoso e inigualável colorido, o que a torna no mais alegre e garrido cartaz de quantas manifestações do género que se podem usufruir na região de Entre-Douro-e-Minho. Não admira, pois, que milhares de forasteiros ocorram, nesta ocasião, à cidade de Freamunde vinds de todo o Portugal e até de Espanha, sobretudo da vizinha Galiza...
Capão à Freamunde
A carne de capão sempre foi apontada como iguaria, habitual nos repastos e banquetes reais. Inúmeros historiadores e cronistas referem-na como podendo pedir meças em qualidade e requinte, à de muitas outras aves que iam à mesa do Rei, como a perdiz, o faisão ou a galinhola.
Foi provavelmente, a junção de três factores que levou à criação da receita Capão à Freamunde. Primeiro, as inegáveis qualidades gastronómicas da carne da ave. Segundo, o facto de o capão ser o "ex-libris" de Freamunde. Finalmente, a vontade de receber bem e sempre de braços abertos, aqueles que visitam a cidade de Freamunde.













Como diz a sabedoria popular...«Conceição de chuva, Luzia de sol...Conceição de sol, Luzia de chuva...»

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

"As árvores morrem de pé"

O Grupo Teatral Freamundense estreia no próximo dia 17 de Dezembro pelas 21:30 a peça de Teatro "As árvores morrem de pé " da autoria de Alejandro Casona, com encenação de Nelson Lopes. Bilhetes à venda na Livraria a Papelinha ( em frente à Galp) em Freamunde, e no dia do espectáculo. Mais informamos que a partir do mês de Janeiro 2012 haverá espectáculos todos os Sábados .
In Grupo Teatral Freamundense

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Teatro

Sexta, sábado e domingo dedicados ao Teatro
O próximo fim-de-semana, que poderá ser mais longo do que é habitual, vai ser dominado pelo Teatro e pelo talento do trabalho desenvolvido pelos jovens, professores e associações de Teatro de Paços de Ferreira.
Ao longo de 3 dias o Grupo Teatral Freamundense, o Grupo “Máscaras” da Escola Secundária, o actor e encenador, Fernando Santos e o actor Ivo Canelas, bolseiro da Gulbenkian são os protagonistas no palco, em diferentes locais, na próxima sexta, sábado e domingo.
O GTF – Grupo Teatral Freamundense abre estes 3 dias dedicados ao teatro com a peça “As Árvores Morrem de Pé”, dia 2 de Dezembro, às 21h30, na Associação de Socorros Mútuos de Freamunde. Esta peça é da autoria de um dos maiores dramaturgos do século XX, Alejandro Casanova. Esta comédia de 3 actos estreou em Buenos Aires, Argentina, em 1949, desde então já passou por muitos palcos em todo o mundo. Sexta, dia 2 Dezembro, o GTF brinda o público com esta grande obra.
No sábado, dia 3 de Dezembro, pelas 15h30, na Casa da Cultura de Seroa, o actor, encenador, autor e professor Fernando Soares irá promover uma Oficina de Teatro com os mais novos. Fernando Soares é licenciado em teatro e reparte a sua actividade artística pelas artes plásticas, fotografia, poesia e pelo teatro. Dinamiza projectos amadores, mormente o teatro escolar - do primeiro ciclo ao universitário - projectos com reclusos e deficientes, e projectos profissionais.
Muitos são os textos preparados a cada ano lectivo, textos clássicos de grandes obras portuguesas que são teatralizados por jovens estudantes. Estes alunos realizam parte da sua aprendizagem através da concretização de peças de teatro que, pela sua qualidade e manifesto interesse cultural, devem ser partilhadas com a comunidade. Assim, dia 3 de Dezembro, às 21h30, na Biblioteca Municipal Prof. Vieira Dinis, o Grupo Máscaras da Escola Secundária protagonizará a “Farsa de Inês Pereira” sob olhar atento do público pacense e do actor Ivo Canelas que, no final da peça, irá conversar com os jovens actores e com público sobre teatro, sobre a vida e carreira de actor, as dificuldades e as oportunidades.
Ivo Canelas, actor português, frequentou o The Lee Strasberg Theatre and Film Institute, em Nova Iorque, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Já trabalhou em teatro, cinema e televisão.
In: Município de Paços de Ferreira

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

VI Semana Gastronómica do Capão à Freamunde

Capão certificado deverá atrair ainda mais apreciadores à VI Semana Gastronómica do Capão à Freamunde
A VI Semana Gastronómica do Capão à Freamunde que vai decorrer em 8 restaurantes do Concelho de Paços de Ferreira, entre 1 e 13 de Dezembro, decorre pela 1ª vez sob a égide da Certificação, depois de ter sido publicado em Diário da República, a aprovação deste produto gastronómico em todas as instâncias.
A Associação de Criadores de Capão trabalha agora na Certificação da receita típica do “Capão à Freamunde”.
Entre 1 e 13 do próximo mês oito restaurantes do concelho vão disponibilizar, de preferência com reserva, no menu diário, ao almoço e ao jantar, o prato de Capão à Freamunde, desafio lançado pela autarquia e Junta de Freguesia de Freamunde aos restaurantes nos últimos 6 anos, juntamente com a Associação Juvenil Ao Futuro (AJAF) e a Associação de Criadores de Capão de Freamunde.
É mais um momento alto para a promoção deste prato que encanta apreciadores e inspirou Camilo Castelo Branco, Gil Vicente, Eça de Queirós e D. Francisco Manuel de Melo.
A Semana Gastronómica do Capão à Freamunde abre no dia 1 de Dezembro em 8 Restaurantes: Paços Ferrara Hotel (Paços de Ferreira); A Presa (Freamunde); Casa do Campo (Figueiró); Citânia (Paços de Ferreira); O Gusto e Parrilhada (ambos em Freamunde); Tarasco (Figueiró) e Tasquinha D’Aldeia Melo (Lamoso).
Um dos pontos altos desta edição da Semana Gastronómica acontecerá no dia 12 de Dezembro, com o 20º Concurso Gastronómico “Capão à Freamunde”, que consiste num Jantar de Gala na Quinta da Vista Alegre, Freamunde, durante o qual é atribuído o prémio ao restaurante que melhor confecciona o Capão.
Neste evento, os restaurantes aderentes levam o seu capão a concurso, onde o prato é apreciado e avaliado por um júri, cujo presidente será o conceituado gastrónomo Fernando Gil Melo, sendo posteriormente comunicado o vencedor e entregues os respectivos prémios. Os interessados em participar neste Jantar de Gala devem adquirir os ingressos (35 euros) no Museu Municipal e na Junta de Freguesia de Freamunde.
O dia 13 é, por excelência, o dia da compra e venda do capão vivo. No dia de Santa Luzia milhares de pessoas deslocam-se a Freamunde para a Feira dos Capões que decorre no centro da cidade e que é única em Portugal.
A vertente religiosa é também motivo de deslocação a Freamunde, na maior parte dos casos por devoção ou para cumprir promessas a Santa Luzia, advogada da visão. Neste dia 13, o programa contempla a celebração de duas missas, na Capela de Santo António, pelas 09 e pelas 11 horas. Pelas 12 horas, decorre o Concurso do melhor capão vivo presente na feira, encerrando o programa da Feira dos Capões com demonstrações equestres, pelas 15 horas, junto às Piscinas Municipais de Freamunde.
In: Munícipio de Paços de Ferreira