terça-feira, 23 de abril de 2013

"Gandarela" - 50 anos

 Capa do livro "Gandarela"
Há, todos nós o sabemos, uma Geografia Humana. E, sendo o Teatro uma das mais nobres manifestações artísticas com que o Homem fortalece e dignifica os dias difíceis e problemáticos do seu percurso terrestre, não pode deixar de considerar-se a existência de uma Geografia Teatral. Assim, pois ,numa imaginária carta do Teatro Amador Português, assinalou-se Freamunde como uma terra altamente significativa,isto em meados da década de 60. Ele há cidades e vilas,e outros lugares até, cujo nome, pronunciado entre cidadãos de mediana cultura, já evocam um monumento, uma indústria,uma especialidade gastronómica. E se é certo que, em meios mais especializados, se sabia da existência de uma importante indústria de móveis em Freamunde, se é certo que por ali perto, em território mais cercão, não era desconhecida a "Feira dos Capões", facto indesmentível é que,a um nível mais amplamente nacional, o nome de Freamunde se impôs pela produção de um teatro de qualidade. O qual, sendo natural e forçosamente amador, soube merecer o apoio generalizado do público e da crítica. Mérito que é, seguramente, da própria terra de Freamunde, do temperamento dos seus habitantes, entre os quais não foi difícil aliciar actores e arrebanhar espectadores, em tão grande número. Mas mérito que é, acima de tudo, do meu querido Amigo Fernando Santos, cujo trabalho, à frente do Grupo Teatral Freamundense, venho seguindo há mais de vinte e cinco anos...
 1ª Representação - 1963
De Gandarela não vi a primeira encenação (1963), porque só pouco depois, na convivência de algumas figuras grandes do nosso Teatro (quase sempre Alves da Costa e Rui de Carvalho), passei a acompanhar a actividade cénica dos nossos grupos de amadores, particularmente na zona norte do país. Mas tive a oportunidade de ver a reposição da popularíssima opereta, em 1983, por altura das comemorações do 20º aniversário do GTF. Recorro-me agora da impressão que me deixou esse espectáculo, reforçando-o com a leitura do texto.
 2ª Representação - 1973
Sendo Gandarela uma opereta, género infelizmente quase desaparecido quando me converti ao Teatro, como autor e espectador assíduo, não posso ter ideias suficientemente sólidas sobre o assunto, até por falta de termos de comparação. Opereta popular de fundo regionalista (pela expressão textual e musical), Gandarela tem todas as condições para ser a memória permanente da população de Freamunde. E isto não é reparo ao nível cultural do público freamundense, que ao longo de quase três décadas, Fernando Santos e o seu Grupo souberam formar no gosto e na aceitação de uma certa modernidade. (Estou a lembrar-me, por exemplo, de Gladiadores e Amor de Perdição, produções locais, mas também de exemplares espectáculos profissionais de Lisboa, Porto e outras proveniências.)
 3ª Representação - 1983
Verificadas as razões principais para que o público de Freamunde permaneça fiel ao seu espectáculo emblemático - espelho que reflete um recente passado comum, que uns querem recordar e outros conhecer - poder-se-á perguntar em que medida o espectador forasteiro e intruso na celebração do culto revivalista se deixa mover pela acção e pela intriga desta história de entrecruzadas conquistas amorosas, que levam ao altar nada menos que quatro pares - 4 - para a suprema felicidade. Pois a mim parece-me que esta proliferação matrimonial com que se remata a opereta tem um sentido caricatural e humorístico muito próprio de Fernando Santos. E, de qualquer modo há que reconhecer em Gandarela uma razoável galeria de tipos populares de bom recorte, muitos diálogos de pitoresca e saborosa linguagem, em que palpita uma inegável vitalidade.
 4º Representação - 1993
Oiço dizer (ou sonhei?) que se prevê uma nova reposição de Gandarela. Se isto se torna um hábito de certa periocidade, estou em crer que os freamundenses dispersos logo e sempre correrão à terra natal, a ouvir dedilhar as cordas sensíveis de um bairrismo inofensivo e até salutar. Mal comparando, será assim como ir a Oberamergau ver a tradicionla Paixão...
Norberto Ávila
Lisboa, Primavera de 1991
Nas suas versões, a opereta "Gandarela" foi interpretada pelos actores descritos na imagem de cima.

Nenhum comentário: