quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Viagem no tempo com...Tonanha

O SPORTING E O PASSEIO TECNOLÓGICO...
São muitas as histórias guardadas nos baús dos jogadores que fizeram história em Freamunde. Houve quem vestisse a camisola azul durante toda a carreira, mas há também os que saíram da formação e brilharam nos relvados principais durante muitos anos. Tonanha será, provavelmente, o caso mais marcante de um jogador que saiu do Freamunde e viu o destino colocar-lhe uma barreira intransponível. A saída precoce do profissionalismo aconteceu aos 23 anos de idade, quando jogava na 1ª Liga ao serviço do Belenenses e estava muito perto de assinar pelo Sporting. Um problema de saúde forçou-o a um desvio na sua vida profissional e a uma reorganização pessoal que, na altura, o abalou fortemente.
Mas antes de chegar a este corte na vida, Tonanha teve ainda a oportunidade de guardar para si momentos inesquecíveis de quando jogava futebol. Os primeiros toques foram dados em Freamunde..."Joguei oito anos no clube, na formação e equipa principal. Neste processo, fui campeão sete vezes e, por isso, torna-se difícil escolher o momento mais marcante, pois todos os êxitos foram momentos especiais". No entanto, a presença no campeonato do mundo de sub-20 foi um momento inesquecível. "Era ainda jogador do Freamunde quando isso aconteceu e penso que é algo difícil de repetir. Foi um orgulho para mim e julgo para a maior parte dos sócios do clube", referiu Tonanha, com orgulho, antes de lembrar em que esteve muito perto de assinar pelo Sporting. "Estava tudo tratado para que isso acontecesse, mas foi-me diagnosticado um problema de saúde que me fez abandonar o futebol", recorda, com angústia. "Foram momentos muito difíceis. Ter 23 anos, ser na altura o melhor marcador da 1ª Liga, ser pretendido por um dos grandes do futebol nacional, mas ter que abandonar o que mais se gosta de fazer é muito duro de ultrapassar. São momentos que não desejo a ninguém, mas ultrapassei e hoje tenho outra actividade e sou uma pessoa feliz e realizada", constata.
Para trás fica ainda um episódio vivido quando ainda jogava no Freamunde. "Houve um treino com o António Jesus, o fadista, que ordenou aos jogadores calçarem as sapatilhas. Saímos do estádio à espera de iniciarmos a corrida, mas começámos a andar e nunca mais parámos. Uma hora depois da caminhada, entrámos novamente no estádio até que alguém perguntou ao treinador quando começava o treino. Ao que ele respondeu: «maltinha, o treino está feito. Chama-se a isto treino ecológico». "Foi uma risada total e a verdade é que ganhámos no domingo seguinte".
Em relação ao presente, Tonanha não esconde a preocupação sobre o estado do clube. "Não auguro grande futuro para o Freamunde. Se gostava de treinar a equipa principal? Já tive essa oportunidade e declinei. Gosto muito do clube e gostava de o treinar um dia, mas não nas condições actuais. Nunca irei pôr o futebol à frente da minha estabilidade profissional e familiar".
JORNAL "GAZETA DE PAÇOS DE FERREIRA"

Nenhum comentário: