sexta-feira, 24 de julho de 2015

Sebastianas 2015

MANTEVE-SE A TRADIÇÃO
Viste os milhares de forasteiros, como tu, que nos deram a honra da sua visita nestes dias exuberantes de alegria e de júbilo, cada vez mais buliçosos, atraídos por um programa rico e pelo calor, pela galhardia e hospitalidade desta gente, generosa e franca, que pôs o melhor da sua alma a testemunhar toda a virtude do seu bairrismo, que, em tempo de crise, com as carteiras quase vazias, foi capaz dos maiores sacrifícios e, apesar do seu esforço, ainda lhe sobrou alegria a rodos para oferecer aos outros? TRADIÇÃO!...
Viste os inúmeros eventos "sérios" - uma profusão de manifestações de arte e cultura popular da responsabilidade de associações locais - , integrados na Semana Cultural (concurso de quadras, festival de folclore, concentração de vespas, exibição de carrinhos de rolamentos, concertos de coros (Centro Paroquial e Ensemble Vocal), concerto do Grupo de Castanholas (a comemorar 10 anos de existência, que se saúda), Tuna Sénior da AMF, AMAF, Banda de Música...? Já é TRADIÇÃO!...
Viste os espectáculos de palco, sempre em crescendo, onde os "artistas" (uma surpresa agradável, o "nosso" jovem, Rui Taipa, e seu grupo) criaram ambiente de uma forma emocionada perante as imensas plateias, de diferentes faixas etárias, completamente extasiadas, que não arredaram pé até ao último "encore"? TRADIÇÃO!...
Viste na sexta-feira as centenas e centenas de folgazões, sem olhar a idade ou sexo, a ribombarem madrugada dentro, até ao romper do dia, numa intensidade que arrepia? COMEÇA A SER TRADIÇÃO!...
Viste no domingo, dia por excelência para as actividades religiosas, a procissão, que nos remeteu para para as origens da festa, um dos momentos marcantes das Sebastianas, deslumbrante, com os andores ricamente ornamentados, que percorreu as ruas da cidade num percurso nunca alterado no tempo, em contínuo tapete florido e que arrastou um mar de gente, imbuída numa absoluta manifestação de fé? TRADIÇÃO!...
Viste os concertos das filarmónicas ( Freamunde e Pêro Pinheiro), em interessante e salutar despique, num recinto praticamente esgotado, e que a apoteose final (hino das Sebastianas, hino de Freamunde e trechos da opereta Gandarela) até a ti te contagiou? TRADIÇÃO!...
Viste os olhos de milhares de pessoas arregalarem-se perante as sessões sumptuosas, multicolores, estrondosas do fogo de artifício e piro musical e do espectáculo: cultura, trabalho e paz? TRADIÇÃO!...
Viste, perante uma multidão comprimida, a passagem da Marcha - constituída por carros alegóricos (uma autêntica "Volta ao Mundo"), todos eles imaginados e construídos por gente desta terra, com alma de artistas, cheios de simbolismo, beleza e colorido? TRADIÇÃO!...
Viste as imensas vacas de fogo, queimadas já o galo cantava, para delícia dos mais arrojados - tantos, meu Deus, tantos atrás "delas"! - e que obrigaram a algumas correrias, não vá o diabo tecê-las? TRADIÇÃO!...
Viste que, em todos os dias, houve festa rija até ao nascer do sol, de autêntica loucura nos bares e pistas de dança (não sei, mesmo, onde isto vai parar!), onde não faltou de comer com muita cerveja e caipirinha à mistura? Continua TRADIÇÃO!...Mas cuidado!...
Viste, portanto, que as festas ao "Mártir" mantêm-se frescas, sedutoras, eufóricas como nunca, enfim, as "MELHORES"? TRADIÇÃO!...
Podes, pois, ter a certeza que as "SEBASTIANAS", para o ano (já anda num rebuliço a nova comissão), sairão a enobrecer o bairrismo que enche o peito de todos os freamundenses, moldados no trabalho de um punhado de jovens (PARABÉNS à Comissão que agora cessou funções, com o "dever" inteiramente cumprido) que se desdobram dia e noite, durante doze meses, e que representam a força de uma vontade, de um querer, de uma determinação, que ninguém poderá deter.
Esperamos, pois, forasteiro amigo, que fiques, ou continues a ser, cliente da "casa", porque cá estaremos, como sempre, pra te dar o melhor do nosso carácter, da nossa alegria.
JOAQUIM PINTO - "JORNAL GAZETA DE PAÇOS DE FERREIRA"

Nenhum comentário: