sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Sport Clube de Freamunde - Vida e Glória ( IV )

OS PRIMÓRDIOS ( 1933 - 1941 )
O RECRUTAMENTO PARA APRENDIZAGEM
Aparece então em finais de 1935 ao leme do grupo o conhecido e valoroso internacional do F. C. Porto, Francisco Castro, campeão de Portugal em 1930 / 1931 e da 1ª Liga em 1934 / 1935.
FRANCISCO CASTRO
Da revista "Stadium" extraímos esta deliciosa referência sobre o perfil do orientador: "Filho de um talhante - possuidor de metade de estabelecimentos comerciais do género, no Porto - só gostava de sardinhas. Jogador polivalente, actuava preferencialmente a ponta esquerda, por sinal onde dava menos nas vistas. Nos outros lugares, inclusive no de guarda redes, era imbatível. Craque também no jogo das cartas, ninguém o levava...a não ser quando encontrava nas visitas a Lisboa, determinda "Rosa"...Para os colegas era o arrasta" ".
Com tantos atributos os freamundenses ganhavam alma, alento.
Francisco Castro iria ter o privilégio de orientar uma das melhores "linhas" de sempre do onze da "terra dos capões".
Alberto "Botas", Bica I e Cândido; Pinheiro, Correia e Careca; Pinto, Bica II, Moreira, Jerónimo e Firmino.
Correia (António Aloísio), natural do Porto, onde chegou a alinhar na formação do Wanzeleres, tinha-se transferido do F. C. Pacense para o Freamunde Sport Club.
Jerónimo (proveniente do Salgueiros) - irmão de Miguel por cá também deu alguns pontapés na bola antes de incorporado na GNR, posto de Faro - , era filho da senhora Marquinhas do Porto, de onde eram naturais. Entretanto, a família radicou-se em Freamunde, na procura de emprego, vindo a morar numa das casas de Serafim Pacheco Vieira (pai das "meninas Vieiras"), no túnel do Carvalhal, bem perto do então quartel dos bombeiros. Jerónimo e Miguel, conjuntamente com os irmãos Cristovão e José, eram exímios jogadores da "malha".
Ao iniciar-se o ano de 1936 o Freamunde Sport Club, já em pleno Campeonato da Promoção, mede forças com congéneres de alguma nomeada: F. C. Campense (7-1), Ginásio Club Laborim - V. N. G. (6-0), Sporting Club Famalicão (5-2), Sport Club Wanzeleres - Porto (1-1) "Durou apenas 45 minutos devido ao mau tempo", Sport Comércio e Salgueiros (3-6), Club Desportivo Costa Cabral (6-0), Sport Club Penafiel (2-2), Sporting Club Baliense (3-1), Sport Club Barros Lima (3-5) e Atlético Águas Santas (3-1).
DOS PEQUENOS TAMBÉM REZA A HISTÓRIA
Em Meixomil, por estas alturas, teve lugar um encontro de futebol da classe infantil, que opôs as formações da U. D. Paços de Ferreira e do Freamunde S. C.. Venceram os miúdos do "Carvalhal" por 4-2. O seu responsável técnico era o então jogador e sub-capitão do grupo principal, António Aloísio Correia. 
ANTÓNIO ALOÍSIO CORREIA
Este "mister" improvisado assentou arraiais, definitivamente, nesta Vila ao contrair matrimónio, em Dezembro de 1936, com Etelvina Gomes Bessa, filha do Regedor Joaquim Bessa Ribeiro.
No jogo de retribuição - contou-nos João Taipa - inverteram-se os papéis e os vizinhos venceram por 2-1. " Nesta partida fui excluído do onze por me encontrar lesionado numa das mãos, sendo substituído na baliza pelo Casimiro "Vaidoso". Efectuamos depois mais alguns desafios com o Lagoas, Colégio de Lousada e S. Martinho do Campo. Aqui, goleamos por 4-0. Os golos foram todos da autoria do António "Pataco", após assistências perfeitas do "Zé Baião". "Zé Pinga", para os amigos, por ser admirador confesso desse portentoso atleta do F. C Porto, Artur de Sousa "Pinga". O "Zé" era um franganote mas "rabiscava" que se fartava".
Facto curioso da baliza ser ocupada por aquele que viria a tornar-se numa das lendas do Clube "azul": João Taipa.
E tem uma história este facto; Porquê na baliza e não na posição onde mais tarde se viria a evidenciar?...Pois bem, andava o Joãozinho no primeiro ano de escolaridade - tempos de sacola de pano e pequena ardósia -, tendo como professor Francisco Valente, quando nas escolas amarelas da Rua do Comércio, em tempo de recreio, se formavam entre os alunos duas equipas para os habituais jogos de futebol, com uma bola feita de trapos e sempre sob o olhar atento do Mestre. Como infelizmente nesse tempo quase todos os alunos andavam descalços, e porque só um ou outro usavam botas ou chancas, (Joãozinho incluído), o professor Valente colocava-os na ingrata posição de guarda redes (aos possuidores de calçado, claro), remediando assim a situação.
 EQUIPA "CLASSE INFANTIL" - ÉPOCA 1935 / 1936
EM CIMA: João Taipa - António "Pataco" - Fernando Rego - Rodrigo "Passarinha" - João Campos - Maximino "Frita" - Miguel - Belmiro "da Riqueta"
EM BAIXO: Manuel "Bica" - Amâncio Torres - Zé "Baião"
"FESTIVAL" NO CAMPO DO CARVALHAL
No dia 12 de Junho de 1936, realizou-se no Campo do Carvalhal um Festival Desportivo que englobou dois jogos assim retribuídos:
14.00 - "Match de Basketball" - Futebol Club Porto - 63 / Estrelas Vigorosa Sport - 16
16.00 - Jogo de futebol (prato forte da festa) - Freamunde Sport Club - 3 / Futebol Club Porto (Reservas) - 4
Os bilhetes de ingresso para o festival custavam a módica quantia de 4 escudos para a bancada (?) e 2 escudos para a Geral.
Os festejos foram abrilhantados pela Banda Freamundense, sob a regência do 1º sargento reformado António Tavares Silva Santos. A jornada, que decorreu bem organizada e em bom ritmo, foi muito aplaudida.
JOAQUIM PINTO - "SPORT CLUBE DE FREAMUNDE - VIDA E GLÓRIA" 2008

Nenhum comentário: