quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Poesia de Freamundenses

SAUDADE

Esta saudade que trago
Está prestes a explodir
Tento, tento, mas
Sem ti nunca vou sorrir

A saudade é grande
E o mundo está a cair
Porque não voltas e partiste
Para eu jamais sorrir

Tu és luz, tu és amor
Eras o sorriso que se foi
Eras a melodia que partiu
E que não ficou

Sem ti sou um pássaro
Sem asas para voar
Sou uma estrela cadente
Que fugiu para não voltar

ANA TOJAL - "ALMA FREAMUNDENSE - POESIA COLECTIVA" - JULHO DE 2004

Nenhum comentário: