quarta-feira, 18 de novembro de 2015

São Salvador de Freamunde ( II )

ESCOLA DE MÚSICA
Freamunde é hoje uma imagem progressiva do concelho de Paços de Ferreira. Há cinquenta e poucos anos, podiam ler-se ainda referências à indústria de lacticínios e a outras pequenas indústrias de mobiliário escolar, olaria, tamancaria, marcenaria, serrações de madeira e manufacturas de fusos com oficinas de serralharia. Em 1920,dá-se conta da instalação em casa própria, na Rua do Comércio, da nova oficina de mobiliário e material escolar e fábrica de moagem sob a firma Pereiras, Barros & Companhia, Lda. , e outra também de mobiliário e material escolar da firma Albino de Matos Sucessores, Lda. Parece assim certo que em Freamunde se deu o primeiro impulso à indústria que hoje caracteriza o concelho, ainda assim acompanhado pela criação de outras indústrias do sector têxtil e metalomecânico.
GRUPO TEATRAL FREAMUNDENSE
Freamunde é uma freguesia bem equipada ao nível escolar e da formação profissional. Uma referência ao associativismo, criativo e bairrista, da sua população, que em quase todos os sectores de actividade social se manifesta.
Citemos, por exemplo, uma curiosa Associação de Socorros Mútuos, bem enraizada na vida local. É uma espécie de previdência gerida para e por freamundenses. No afã de angariar fundos para esta associação, germinou o gosto pelo teatro em Freamunde. Primeiro, nas festas organizadas por Alexandrino Chaves, aí pelo início do século, depois, na década de quarenta, com Leopoldo Pontes e, mais recentemente, a partir de 1963, com a fundação do Grupo Teatral Freamundense. O teatro deve já ao G. T. F. uma enorme contribuição artística, com a encenação de alta qualidade cénica de muitos actores nacionais e estrangeiros.
Refira-se, porque importantes para o conhecimento da etnografia local, as representações regulares da peça de Fernando Santos, timoneiro do teatro em Freamunde. De sua autoria, representa-se de tempos a tempos uma notável opereta, "Gandarela", cujos trabalhos de raíz e força popular mostram «coisas que o mundo tem, que, sendo do mundo, são também um pouco de todos nós...».
GENTE DE FREAMUNDE REPRESENTANDO A DANÇA DOS PEDREIROS
Mas o associativismo passa por outros grupos de igual dinâmica: a Associação de Artes e Letras de Freamunde (1931), com as suas exposições de pintura e escultura (ou não fora o pintor Carlos Taipa um dos seus fundadores); a Associação Juvenil "Ao Futuro" (1990); o Clube de Pesca e Caça (1976); o Clube Recreativo Freamundense; a Sociedade Columbófila de Freamunde (1938); e o Sport Clube de Freamunde (1933) são outras tantas instituições que dentro e fora da freguesia a dignificam pelo seu labor.
Uma palavra para a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Vila de Freamunde, nascidos em 1930 e com um corpo de 78 abnegados soldados da paz.
E outra muito especial para a Associação Musical de Freamunde, que aos 172 anos de idade continua pujante. Tão pujante como a Escola Infantil de Música que gerou e acarinha como canteiro de músicos.
Em Freamunde nasceu, no princípio do século, o padre Francisco Peixoto, investigador e publicista de muito mérito.
O título de Vila (1933) deve-o Freamunde principalmente a Arnaldo Brito, pessoa que muito fez por modernizar a freguesia.
Outro notável  foi o Dr. Alberto Cruz, clínico de renome, liberal e deputado da República. Faleceu em 1956.
Singular é a figura do padre António Alves Pereira de Castro (Padre Castro), um pastor de almas que soube arranjar tempo para criar e desenvolver uma notável indústria de mobiliário.
O Dr. José Baptista Barreiros (1893-1965) foi um ilustre investigador e literato, a quem se devem trabalhos sérios sobre a ocupação sueva do concelho.
Em 1910, o Prof. Albino de Matos investiu a sua experiência pedagógica na indústria do mobiliário escolar (as célebres carteiras com tampo semiarticulado, contadores digitais, caixas métricas, colecção de sólidos, etc.). Um pioneiro.
(CONTINUA)
 "PAÇOS DE FERREIRA - HISTÓRIA PARA UM GUERREIRO" - 1994

Nenhum comentário: