quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Pedaços de Nós

 A TASCA DAS ELVIRAS

Na tasca das Elviras as canecas
eram de quarteirão, litro e quartilho
fiéis como um alqueire a medir milho
tinham medida certa ali, as mecas

O bagaço era puro como a tasca,
bebido ali à luz do candeeiro,
no bolso ia um naco de fumeiro
apreciado ali a cada lasca.

O perfume que o seu vinho deitava
quantas vezes curou quem lá passava
a correr p'rá farmácia do Jaiminho

Que pagava por ter medicamentos
vindos do céu, puxados pelos ventos,
e afinal o milagre era do vinho!

Nenhum comentário: