quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Esta é mesmo verdadeira

NERVOS A MAIS...
Numa colectividade de amadores teatrais que, há muitos anos existia na Rua de Santo Ildefonso, no Porto, junto ao Largo do Padrão, homenageava-se o principal actor do grupo, pelo que, depois da representação da peça "As Duas Causas", havia um acto de variedades, com todos os actores-amadores da casa e alguns grupos congéneres que à homenagem se quiseram associar. Entre estes havia um rapaz, que se dispunha a recitar "O Melro", de Guerra Junqueiro. Este "distinto" declamador, porém, tinha um defeito físico num braço, defeito bem evidente, mas no qual se lhe não podia "tocar", sob pena de ser logo por ele insultado e desfeiteado, pois era de condição imensamente nervosa.
A sala de representações era pequeníssima, muito apertada, com um palco minúsculo e, de primeira fila, quase se podia lamber as biqueiras dos sapatos dos actores em cena.
O nosso homem entra para a declamação poética, muito enfatuado e cheio de prosápia, quando houve um assistente de primeira fila, que lhe notara o defeito, dizer para o seu parceiro do lado:
-"O gajo é manquinho...!"
Enervado e de cabeça perdida, atira em voz baixa, ao seu desfeiteador:
-"Manquinho, um melro, ouviu?!..."
Mas breve se recompõe, se empertiga, enfrenta o respeitável público e anuncia, de cabeça poeticamente erguida e com a maior ênfase:
-"Uma merda!," de Guerra Junqueiro..." 
FERNANDO SANTOS - "ESTA É MESMO VERDADEIRA"- JULHO DE 2001

Nenhum comentário: