quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Sebastianas (conclusão)

Mas...há transformações que exigem reflexão. O cariz popular que tende a esvair-se, não está de acordo com a tradição. O folclore quase já se foi. Apenas o "vemos" no Cortejo, a cantar "Oh Freamunde / Oh Festas Sebastianas / Para quem vos vê / Vós sois um espelho..." As "Sebastianas" têm outra cara, quase direccionadas para a juventude que garante multidões. Os concertos de palco, as pistas de dança...Isso sim. Isso é que traz gente a Freamunde. Para o povo "antiquado" serve-se a missa solene, a procissão e as "pranchadas" das Filarmónicas.
Na evolução irreversível dos tempos, mudaram alguns hábitos: a cerveja e a caipirinha sucederam à laranjada e à "pinga"; as bifanas, o pão com chouriço e o porco no espeto condenaram à extinção o caldo verde e a sardinha assada. Restam as farturas, as pipocas, o algodão doce...Laivos de nostalgia. Gastronomia regional? Nada como dantes! Tinha-se de certas casas, as saudosas tasquinhas, de salas exíguas, sem grandes beneficiações mas agradáveis, de ambiente acolhedor e atendimento cortês (das Elvirinhas, do "28", do Ilídio "Jota", do Américo, do Abílio "da Leocádia", do Viana, d'Arminda, do Ramiro...), uma óptima ideia, que nos ficou de estimáveis repastos durante anos - as célebres rojoadas, as tripas à moda do Porto, cabrito assado no forno a lenha...Depois lá vinha, da barraca em frente ao Cruzeiro, um saco de deliciosas farturas da Família Oliveira.
A lista de vinhos era a pipa de verde tinto que tingia os beiços.
Que bom continuarmos, mesmo aceitando e entendendo as "modernices", na "estrada" que sempre trilhamos. A estrada da tradição. Sempre viva...Não a queiramos morta. É certo, pois, que o "profano", na sua cultura popular, não terá certamente entraves. Prosseguirá sempre com pujança. É o que se tem visto!..E, já agora, o "sagrado", como forma religiosa, até onde irá? Será que ainda se festeja o Mártir por devoção?

MARCHA DAS SEBASTIANAS

Oh! Freamunde
Oh! Festas Sebastianas
Para quem vos vê
Vós sois um espelho
Oh! Lindas Festas
Que criaste a fama
Vós sois as melhores
Festas do concelho.

Oh! Vila de Freamunde
És formosa noite e dia
Tens o São Sebastião
As feiras de Santo António
E a de Santa Luzia

Oh! Vila de Freamunde
Como tu não há igual
Tens as tuas distinções
Como a Feira dos Capões
Não há outra em Portugal.

Oh! Vila de Freamunde
Terra de rara beleza
Tens mobílias escolares
Que fabricas aos milhares
Mostras que és Portuguesa

Tu tens bombeiros
Música e Grupo de Futebol
Pareces uma cidade
E sempre que tu precisas
Cá terás a Mocidade.

JOAQUIM PINTO - "SEBASTIANAS" - JULHO DE 2013 

Nenhum comentário: