sexta-feira, 29 de abril de 2016

Duas imagens

 Duas imagens captadas na Rua das Sebastianas, numa parede do pavilhão das Festas Sebastianas.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Toponímia Freamundense

 RUA LEOPOLDO SARAIVA
A Rua Leopoldo Saraiva faz a ligação da Rua Abílo Barros à Rua e Travessa do Calvário. Situa-se perto do centro cívico de Freamunde no Lugar da Vista Alegre.
A rua foi criada aquando do 50º aniversário da elevação de Freamunde à categoria de Vila, em 1983. O nome desta rua foi proposta pela Comissão de Toponímica, e aceite por deliberação da Junta de Freguesia em sessão extraordinária em 13 de Maio de 1983.
A rua é uma homenagem a Leopoldo Saraiva, artista de reconhecido mérito, mormente como animador cultural e decorador, com larga responsabilidade na tradição teatral Freamundense, e que a Freamunde se entregou com desinteresse, dedicação e entusiasmo.
Leopoldo Saraiva homenageado pelo Grupo Teatral Freamundense em 1963, na Associação de Socorros Mútuos Freamundense.
Leopoldo Saraiva nasceu em 1892 e morreu em 1965.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Uma imagem de outros tempos

Uma belíssima imagem de outros tempos da antiga Praça do Mercado, com o Clube Recreativo Freamundense ao fundo. A antiga Praça foi construída em 1898 e demolida em 1990 para o arranjo urbanístico no centro cívico da então Vila de Freamunde. 
Uma imagem de outros tempos que se encontra no blogue "Freamunde: Facto e Figuras", da autoria do nosso conterrâneo Joaquim Pinto.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Sebastianas 2016

Um dos pioneiros do rap e do hip hop em Portugal, dono de uma extraordinária capacidade de descrever sentimentos e de os transformar em música, Boss AC, um assumido melómano, invulgarmente ecléctico, teve sempre o mérito de arriscar ao procurar novos horizontes e quebrar barreiras do género Hip Hop. Muitos milhares de discos vendidos, centenas de espectáculos realizados um pouco por toda a parte, tudo conquistado pelo seu inegável talento. A caminho do sexto álbum de originais, a sua música já percorreu os cinco cantos do mundo, mas continua a medir o sucesso por tudo o que ainda falta fazer. Lançou-se nas composições musicais no final dos anos oitenta, quando ainda era adolescente e vivia no centro de Lisboa, onde a cena emergente se reunia para dar início ao movimento Hip-Hop, influenciado pela cultura Norte Americana e pelas sonoridades que chegavam, do outro lado do Atlântico. Boss AC cedo revelou o seu invulgar talento.
O seu primeiro registo discográfico remonta ao ano de 1994, com a sua participação em “Rapública”, compilação que reunia a nata dos então rappers nacionais. De todos eles é, ainda hoje, dos poucos que continuam a assinar sucessos no rap nacional. O álbum de estreia, “Mandachuva”, de 1998, gravado nos Estados Unidos, revelou uma maturidade rara e prenunciou o redefinir de novos caminhos na música de AC e do Hip Hop nacional. A discografia também inclui em 2002, “Rimar Contra a Maré”, em 2005, “Ritmo, Amor e Palavras” e a consolidação de um sucesso anunciado. Em 2008, “Preto no Branco” e em 2011 “AC para os amigos” de onde saiu uma das músicas mais conhecidas do artistas “Sexta-Feira (Emprego Bom Já)”.
Sebastianas é a Festa! E o resto é paisagem! 7 a 12 de Julho em Freamunde!

domingo, 17 de abril de 2016

Sebastianas 2016

Resistência confirmados dia 9 de Julho nas Sebastianas 2016.
Resistência, uma das mais emblemáticas formações da música portuguesa da primeira metade dos anos 90, super grupo responsável por alguns inesquecíveis sucessos, regressam aos concertos com que celebram 20 anos do lançamento do projecto. Fernando Cunha, Miguel Ângelo, Pedro Ayres de Magalhães, Tim, Fernando Júdice, Alexandre Frazão, José Salgueiro, Rui Luís Pereira, Fred Mergner e Olavo Bilac – a formação original – vão pisar o palco das Sebastianas.
Este colectivo de músicos, nascido de uma ideia original de Pedro Ayres de Magalhães ainda em finais dos anos 80, representou um momento especial na história da pop portuguesa, com a elevação da língua de Camões a património comum. As vozes e as guitarras de Tim, Pedro Ayres, Fernando Cunha, do então em arranque de carreira Olavo Bilac e de Miguel Ângelo, juntamente com o baixo de Fernando Júdice, a bateria de Alexandre Frazão, as percussões de José Salgueiro e ainda mais guitarras de «Dudas» (Rui Luís Pereira) e Fred Mergner reduziram ao essencial uma série de clássicos da música portuguesa, apostando numa pureza acústica e na força de um coletivo para elevarem a hinos temas como «A Noite» dos Sitiados, «Não Sou o Único» dos Xutos & Pontapés, «Fado» dos Heróis do Mar, «Nasce Selvagem» dos Delfins ou «Perigo» dos Trovante.
Juntos, todos estes músicos representam uma fatia importante da mais relevante música portuguesa das últimas décadas. Continuam no activo, em projectos como Madredeus, Quinteto de Lisboa, Santos e Pecadores, Xutos & Pontapés, Ar de Rock ou em carreiras a solo repletas de aplausos, como acontece com o ex-vocalista dos Delfins Miguel Ângelo.
Quase duas décadas depois, a Resistência continua na alma de todos os portugueses.
Sebastianas é a Festa! E o resto é paisagem! 7 a 12 de Julho em Freamunde!

sábado, 16 de abril de 2016

Sebastianas 2016

Espectáculo de rua + noite de bombos. Dia 8 de Julho nas Sebastianas 2016.
Começou já tarde, mas rapidamente tornou-se um dos pontos altos da festa, em terra que todos admiram a musicalidade dos bombos.
Em 2002 a comissão tem a ideia de juntar todos os que querem tocar bombo apenas pela vontade (e mesmo tendo muita prática) de o fazer em conjunto pelas ruas da festa. Facilmente se juntaram comissões e grupos de amigos, que aumentaram em muito a dinâmica deste desfile organizado no inicio depois se torna numa polifonia desorganizada de sons pela noite dentro.
A tradição já vai passando e as antigas comissões de festeiros depois do tradicional jantar de sexta feira, pegam em bombos e caixas e vem para a rua tocar, juntando-se a todos os que na festa estão e que também já alugam bombos e começam a ganhar a vontade de ano para ano.
O desafio é que sejam cada vez mais, a tocar bombo nesta noite.
No inicio pode parecer difícil…mas é preciso começar para aprender.
Vem e junta-te a nós!
Vamos tornar a Noite de Bombos das Sebastianas a maior do Mundo!
Sebastianas é a Festa! E o resto é paisagem! 7 a 12 de Julho em Freamunde!

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Sebastianas 2016

The Legendary Tigerman confirmado dia 07 de Julho nas Sebastianas 2016.
The Legendary Tiger Man é o nome artístico de Paulo Furtado, um artista, vocalista e músico blues português, num estilo de homem-orquestra (One-man-band). Seguindo a tradição das raízes dos Blues originais do delta do Mississippi, tocando e cantando sozinho. Com um estilo singular, toca guitarra, harmónica e bateria sozinho em palco. Utiliza vários microfones para efeitos, pedais de percussão, instrumentação electrónica e até kazoo.
O último album “True” foi lançado em Março de 2014 e está actualmente em digressão em toda a Europa.
Naked Blues (2001), Fuck Christmas, I Got the Blues (2003) e Masquerade (2006) são os três álbuns a solo lançados anteriormente. Desde o seu primeiro disco, The Legendary Tigerman lançou seus discos na maioria da Europa e já se apresentou em Portugal, Espanha, França, Bélgica, Inglaterra, Brasil e Japão.
Em 2009 viu o lançamento seu álbum, altamente elogiado “Femina”, que inclui músicas com Asia Argento, Peaches, Maria de Medeiros, Rita Redshoes e muitas mais estrelas convidadas do sexo feminino.
Sebastianas é a Festa! E o resto é paisagem! 7 a 12 Julho em Freamunde!

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Gente da Nossa Terra

ARNALDO SANTOS

O Arnaldo Santos partiu
desta terra muito novo,
mas nunca se despediu,
nem da terra, nem do povo.

Foi-se embora pra tentar
uma vida mais folgada,
mas sem nunca abandonar
esta sua terra amada.

Voltou sempre que podia
e era uma grande alegria
ver esta coisa tão bela:

o sair da camioneta,
mais rápido que uma seta
pra abraçar a Gandarela.

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Uma imagem

Uma imagem captada por detrás das redes de um muro, mesmo na parte final da Rua da Boavista, com vista para o lugar de Madões.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Em tons sépia

A igreja matriz de Freamunde, em toda a sua altivez, em tons sépia, num dia muito cinzento..

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Bombeiros Voluntários de Freamunde ( V )

2.1 O NASCIMENTO DA ABVF - (PRIMEIRA PARTE)
A origem da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários entronca no fenómeno associativo, bem característico de Freamunde e particularmente activo naquela época. A povoação, que volvidos cinco anos passaria a Vila, tinha um centro urbano bem definido, uma intensa actividade comercial e uma indústria instalada e em crescimento.
Conhecida a intenção generosa e sabendo-se dos resultados catastróficos que a falta de uma corporação organizada fazia, no dizer de Barreiros, facilmente se compreende a sua utilidade e a sua criação em Freamunde.
Nesse sentido, no dia 16 de Outubro de 1928 no decurso da sessão solene do 2º aniversário do Clube Recreativo Freamundense foi apresentada, discutida e aplaudida a ideia de criar uma Corporação de Bombeiros Voluntários, com sede em Freamunde. Os sócios do clube não só aplaudiram como também se comprometeram a apoiar a iniciativa no "máximo das suas forças", pelo que nessa mesma sessão foi nomeada uma comissão para desencadear as diligências necessárias.
Sentindo a necessidade de ter o apoio de todos os Freamundenses, a referida comissão, já integrando outros elementos, reunida a 25 de Outubro de 1928 decidiu convocar uma reunião geral dos habitantes de Freamunde, para três dias depois, na Associação de Socorros Mútuos Freamundense, que cedeu o espaço para tal realização. Por convite de José António Gaspar Pereira (membro da comissão que convocou essa reunião) e por aprovação unânime da Assembleia, presidiu à sessão o Padre Florêncio Pinto de Vasconcelos, com os secretários Adolfo Pereira Leão de Moura e Leopoldo Pontes Saraiva. Unanimemente a assistência foi favorável à criação da Corporação de Bombeiros concordando "que tal agremiação se tornava necessária e indispensável em Freamunde, sabendo como são os fins beneficentes das corporações de bombeiros", refere a acta dessa reunião realizada a 28 de Outubro de 1928.
PADRE FLORÊNCIO PINTO VASCONCELOS
 Presidiu à assembleia da Grande Comissão Organizadora dos Bombeiros Voluntários de Freamunde.
Foto, de pintura a carvão, existente na Associação de Socorros Mútuos Freamundense.
Unanimemente os habitantes da freguesia de Freamunde elegeram um grupo alargado de cidadãos que denominaram de Grande Comissão Organizadora da Corporação e que passou a ser uma espécie de assembleia geral da ainda embrionária Associação de Bombeiros.
Nomes que constituíram a Grande Comissão Organizadora e que constam na acta respectiva:
Dr. Alberto Carneiro Alves da Cruz ; Dr. António Henrique Pinto de Vasconcelos ; António Joaquim;  Gomes da Costa Torres ; António José de Brito ; Padre António Alves Pereira de Castro ; António Joaquim Ribeiro ; António Pereira da Costa ; António Pereira Rego ; António Taipa Coelho de Brito ; Adolfo Ferreira Leão de Moura ; Adriano Pinto Martins Leitão ; António Martins Ribeiro ; Armando Nunes de Oliveira ;  Alfredo da Silva Cabral ;  Arnaldo Carneiro Alves da Cruz ; Padre Florêncio Pinto de Vasconcelos ; Jacinto José da Costa Torres ; Joaquim Pinto Pereira Gomes ; José António Gaspar Pereira ; José Maria Ferreira de Matos ; Leopoldo Pontes Saraiva ; Libório Pinto Gomes ; Manuel Augusto Pinto de Barros ; Miguel Nunes de Oliveira ; Luís Ferreira Leão de Moura ; Rafael Pinto Graça ; Serafim Pacheco Vieira ; Serafim da Silva Moura.
Quatro dias depois da reunião geral de Freamundenses, a 1 de Novembro de 1928, reuniram-se em assembleia-geral os cidadãos que faziam parte da Grande Comissão Organizadora da Corporação dos Bombeiros Voluntários de Freamunde. Além de ter sido conferida posse aos seus membros, foi deliberado constituir uma comissão executiva e uma comissão para elaborar os estatutos que, de imediato, tomaram posse.
Comissão Executiva:
Presidente : Dr. Alberto Cruz
Tesoureiro: António Torres
Secretário: Joaquim Pinto Gomes
Vogais efectivos: José António Gaspar Pereira e Leopoldo Saraiva
Vogais suplentes: Dr. Amâncio Leão, Arnaldo Cruz e António Joaquim Ribeiro
Comissão para elaborar os estatutos:
Dr. António Vasconcelos, Adolfo Leão e Armando Oliveira, como efectivos. Suplentes: Alfredo Cabral e Miguel Oliveira.
DR. ALBERTO CRUZ
 Médico, fundador dos Bombeiros, foi seu dirigente e Comandante.
Foto, de pintura a carvão, existente na Associação de Socorros Mútuos Freamundense.
JOÃO VASCONCELOS - "BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE FREAMUNDE - 75 ANOS" - 2005

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Poesia de Freamundenses

MARIA POEMA

Maria triste
Maria Alegria
Choraste de noite
Cantaste de ida.

Quando o sol raiou
De braços no ar
Correste pela estrada
Para o ver chegar.

Quando ele partiu
E tu só ficaste
Maria Triste
De novo choraste.

Não chores Maria
E vive alegria
De que amanhã
Será outro dia.

Do sol que se vai
Tu não tenhas pena
Eu vivo sem sol
Meu sol é um poema.

Poema de paz
De amor e verdade
Vivendo num sonho,
A realidade.

JACINTO SOUSA - "FREAMUNDE E O SENTIMENTO POPULAR" - 1987

sexta-feira, 1 de abril de 2016

A preto e branco

Uma fotografia a preto e branco de uma antiga exploração agrícola, na Rua Nova de Cachopadre, no lugar homónimo.