segunda-feira, 4 de abril de 2016

Poesia de Freamundenses

MARIA POEMA

Maria triste
Maria Alegria
Choraste de noite
Cantaste de ida.

Quando o sol raiou
De braços no ar
Correste pela estrada
Para o ver chegar.

Quando ele partiu
E tu só ficaste
Maria Triste
De novo choraste.

Não chores Maria
E vive alegria
De que amanhã
Será outro dia.

Do sol que se vai
Tu não tenhas pena
Eu vivo sem sol
Meu sol é um poema.

Poema de paz
De amor e verdade
Vivendo num sonho,
A realidade.

JACINTO SOUSA - "FREAMUNDE E O SENTIMENTO POPULAR" - 1987

Nenhum comentário: