segunda-feira, 27 de junho de 2016

XIV Concurso de Quadras Sebastianas


1º prémio - quadra nº 4
Cores mil, beleza extrema,
"mel", foguetes, mãos humanas...
São estrofes dum poema
Que eu canto às Sebastianas!
"Albatroz"
José Afonso de Castro Bastos - Vila das Aves

2º prémio - quadra nº 89
Freamunde tem magia,
ou estou sonhando acordada...?
-Eu só sei que já é dia
E continua a noitada..
"Agradecida"
Patrícia Alexandra Rodrigues Ferreira - Catraia de Mouronho - Mouronho

3º prémio -quadra nº 97
Sebastianas com "mel",
Freamunde com capão,
São a maceta e cinzel
P´ra esculpir a tradição!
"Crente"
João Francisco da Silva - S.Tiago dos Velhos

MENÇÕES HONROSAS

Quadra Nº. 2
Freamunde é uma bica
De magia e diversão,
Sou pobre, mas de alma rica
Na solene procissão.
Noreste”
Ernesto Lopes Nunes - Espadaneira - Coimbra

Quadra Nº. 8
Com riquezas bem humanas
Que a vida, em vida, nos traz,
Nas Festas Sebastianas,
Freamunde é chão de paz!
“Grão de Paz”
João Baptista Coelho - S. Domingos de Rana

Quadra Nº. 9
As Festas Sebastianas
São, por si, quem mais difunde
- Mesmo que um pouco profanas –
A alma de Freamunde!
“Pássaro Verde”
João Baptista Coelho - S. Domingos de Rana

Quadra Nº. 49
Sebastianas, altar
Do belo feito oração;
Quem lá vai quer lá ficar
Ou volta sem coração!...
“Albatroz”
José Afonso de Castro Bastos - Vila das Aves

Quadra Nº. 140
Sou um velho peregrino
E um infeliz pobretanas.
Mas jurei desde menino
Ir sempre às SEBASTIANAS!
“Elmano”
Aquilino do Nascimento Pereira Tojal - Figueiró

Quadra Nº. 148
Vejo a marcha da varanda
A procissão da janela
Só saio p’ra ouvir a banda
A tocar a Gandarela.
“Migu”
Maria Augusta de Sousa Ribeiro - Freamunde

Nenhum comentário: