sexta-feira, 8 de julho de 2016

As "Sebastianas" já mexem

As Festas ao Mártir São Sebastião estarão a perder as tradições com raízes mais profundas?! Será fruto dos tempos?! Assim como assim - honra seja feita à Comissão - ainda é bem evidente (até quando?!) a carga simbólica da dimensão religiosa, cultural e social que esta herança do passado nos legou. Mas já se notam algumas diferenças. Hoje, o profano está a impor-se de tal maneira que, ou muito me engano, as "Sebastianas" tendem a perder o cariz popular, caminhando assustadoramente para autênticos festivais de Verão. Não sei mesmo, não, onde isto ira parar!
Era bom que se continuasse a enquadrar, como até aqui, a tradição no presente, onde todos, velhos e novos, se possam rever e identificar, mesmo entendendo as "modernices". Isto mudou de tal forma que nada é como dantes, todos sabemos, mas com um pouco de boa vontade, de respeito...
Seja como for, ELAS aí estão, sempre belas e sedutoras. E estarão, por muitos e bons anos, pois por ELAS sentimos alegria e orgulho. Por ELAS somos capazes de tudo: dos maiores sacrifícios, do mais desinteressado contributo...
Chama-se a esta entrega, pelos "vizinhos" elogiada, BAIRRISMO!...
BAIRRISMO (como cheguei a escrever, tempos atrás, neste jornal) que só ressurge com as "SEBASTIANAS"...As Festas, sim (olhem que não estou, infelizmente, enganado!), evidenciam, salvo raras excepções, sinais únicos de pioneirismo e vanguardismo nesta terra. Nas suas realizações não há letargia, comodismo...
Ninguém fica indiferente à forma como "FREAMUNDE" cumpre, recebe quem a visita, como do nada tudo faz.
Querem saber como se exprimiu "gente" importante que por aqui passou durante os grandes dias? Aí vai:
2007: PEDRO BARROSO, o brejeiro cantor  de voz inimitável, sentia-se em casa; sempre pronto para qualquer momento "incendiar", numa onda de ritmo e sedução. Consegui-o. Plenamente. Notou-se bem na tristeza generalizada quando no fim da 15ª(!) música soltou um "OBRIGADO, FREAMUNDE! ADORO-VOS!"
2009: O líder dos BURACA SOM SISTEMA, mal se apresentou perante a moldura humana impressionante, exclamou de forma bem elucidaitva: "FREAMUNDE FAZ UMAS FESTAS DO CARAÇAS!...NUNVA VI NADA ASSIM!..."
2011: JOSÉ CID, durante o espectáculo sério, decente, soltou uma frase que gostosamente e orgulhosamente registamos como patente: "FREAMUNDE, RAINHA DA SIMPATIA".
Porque a boa-vai-ela "são dez (!) dias", tu, forasteiro amigo, vem, não fiques para trás e goza as "Sebastianas" à brava. À "grande e à francesa".
JOAQUIM PINTO - JORNAL "GAZETA DE PAÇOS DE FERREIRA"

Nenhum comentário: