segunda-feira, 4 de julho de 2016

Sport Clube de Freamunde - Vida e Glória ( VIII )

OS PRIMÓRDIOS ( 1933 - 1941 )
O RESSURGIR DA ESPERANÇA
Depois da frustrante campanha de 39 / 40, a promissora equipa, uma vez mais liderada por António Aloísio Correia, acredita que a conquista do ceptro no final da época 1940 / 1941 não é simples miragem.
Alicerçada num plantel que se mantém praticamente inalterável - apenas os cotados atletas Miguel Barros e Neca Carvalheiras tinham assinado a "ficha", transferidos do Lousada, que havia suspendido a Secção -, o começo do Campeonato é de tal forma fulgurante ( vitória por 6-2 sobre o Amarante ) que se adivinhavam tempos de glória.
O "onze" escolhido para este encontro foi o seguinte: Hercílio, Zinho "Sistelo" e Leonel; Miguel Barros, Alberto Matos e Xico da "Fonte"; Maximino "da Couta", Zé Viana, Adão Viana, António "Pataco" e João Taipa.
João Taipa (3), Adão Viana (2) e Zé Viana (1) foram os artilheiros de serviço.
No entanto, mesmo do dealbar da competição, em jornada de atraso que ficou marcada por peripécias várias, os atletas do F. C. Penafiel - recebiam no seu reduto o U. S. C. Paredes - revelaram gritante falta de ética, deixando - é mesmo esse o termo - que os vizinhos e rivais vencessem o encontro e se sagrassem campeões, relegando para a segunda posição, a um só ponto, os freamundenses.
Ouviram-se gritos de revolta na risonha Vila de Freamunde, mas, contra factos não havia argumentos, o troféu foi mesmo parar às vitrinas do clube paredense.
O Campeonato tinha acabado com a angústia do título perdido.
Para além dos dois clubes referenciados, participaram no Promocionário as formações do Amarante F. C. e F. C. Marco ( viria mais tarde a desistir da competição ).
EQUIPA TIPO:
Hercílio, Zinho "Sistelo" e Leonel; Miguel Barros, Zé Viana e Xico "da Fonte"; Maximino "da Couta", Adão Viana, Alberto Matos, Alberto Augusto e João Taipa.
Outros utilizados: António "Pataco" e Neca Carvalheiras.
MARCADORES DOS GOLOS:
Adão Viana (6); João Taipa (4); Maximino "da Couta" (2); Alberto Matos e Zé Viana (1 cada).
De vários encontros de carácter amigável realizados, realce o Freamunde S. C. - 5 / Moreirense - 5, disputado no dia de Ano Novo, com a particularidade de João Taipa ter apontado todos os golos da sua equipa.
No dia 1 de Setembro de 1940 começou a funcionar num prédio de Bernardino da Costa Machado, no Largo da Feira, a sede do Freamunde S. C. , agremiação que se dedicava à prática de vários jogos desportivos, embora como sol de pouca dura: Ciclismo, "Basketball", Tiro, Ginástica e Ping Pong. É curioso constatar uma louvável marca de ecletismo de um clube que nascera para o futebol, como curioso é o facto do emblema nos mostrar uma configuração que por vezes diferia do actual, resumindo-se ao símbolo de uma singela bola azul onde estavam inseridas as letras FSC nos respectivos gomos.
Os dirigentes de então, sempre gratos e atentos, sabiam reconhecer.
Neste contexto, por proposta unanimemente aprovada, foi deliberado exarar em acta a distinção de que foi alvo António Corrêa Teixeira Vasconcelos Portocarrero, nomeado sócio benemérito da colectividade por relevantes auxílios materiais prestados.
Como os tempos eram, pois, de alguma agonia - a Grande Guerra deixava já as suas marcas -, fazia-se uso da imaginação, discutindo-se iniciativas que pusessem cobro aos deficitários cofres da tesouraria.
Envelope: O ecletismo do Clube, bem vincado neste envelope.
Assim, no dia 13 de Outubro do ano de 1940, realizou-se no salão elegante da Associação de Socorros Mútuos Freamundense um grandioso Sarau Artístico realizado pelo Grupo Teatral Beneficiente de Paredes, revertendo o lucro em prol de clube.
Para dirigir os desígnios da colectividade em 1941, foram eleitos em Assembleia- Geral Ordinária de dez de Janeiro, os seguintes membros:
JOAQUIM PINTO - "SPORT CLUBE DE FREAMUNDE - VIDA E GLÓRIA" - 2008

Nenhum comentário: