quarta-feira, 7 de junho de 2017

Bombeiros Voluntários de Freamunde ( X )

3.2 OS SÓCIOS BENEMÉRITOS
Por altura das bodas de ouro da instituição (1980) apenas quinze pessoas e entidades tinham adquirido o estatuto de sócios beneméritos da instituição, tendo o últimos sido aprovado em 1952 pela assembleia-geral.
Entre os primeiros beneméritos, aprovados a 17 de Outubro de 1930, por aclamação, está o Clube Recreativo Freamundense. Clube que ainda hoje se mantém em actividade e que na altura foi o primeiro a abrir a subscrição pública com 1000$00 para dar inicio à criação desta instituição. Entre os primeiros contribuintes para o cofre da instituição e que mereceram da mesma assembleia igual decisão estão a firma "Albino de Matos, Pereira & Barros, Limitada" e Álvaro de Matos Nunes, Júlio Simões e Dr. Alexandre Aranha Furtado de Mendonça.
Ainda no mesmo ano, mas a 20 de Dezembro foi também aprovado sócio benemérito Alberto Soares de Moura Quintela.
Durante o ano de 1931 chegam as primeiras verbas avultadas oriundas do Brasil, por amigos da terra e da causa. Em 20 de Dezembro desse ano são aplaudidos como beneméritos: Dona Marieta Gois, residente no Rio de Janeiro - por uma oferta por intermédio de uma senhora chamada Maria Nunes - , Manuel Afonso da Silva, de Lamoso e, na altura, nos "Estados Unidos do Brasil". Outra benemérita considerada nesta data foi Gertrudes Albina Dias Torres, não só porque fez o donativo de 500$00 como também participou num peditório efectuado na freguesia de Sobrosa, Paredes, onde residia.
A 24 de Janeiro de 1932 é considerada sócia benemérita Elvira Monteiro, tinha feito alguns donativos e "emprestado" a casa para albergar o quartel de S. Francisco, onde esteve até meados de 1933.
Depois do período de fundação e instalação, passados quinze anos depois da aprovação do último benemérito, a direcção propõe mais três emigrantes no Brasil para figurar nesta galeria. Na assembleia de 21 de Dezembro de 1947 foram aprovados por aclamação como sócios beneméritos: Arménio de Bessa Rego, natural desta freguesia e "acidentalmente" no Brasil; Sofia Brizida de Meireles, de Ferreira, e Severo Meireles, também natural de Ferreira e "acidentalmente" no Brasil. O presidente da direcção, José Chamusca, justificou a proposta pelo facto de terem dado um generoso donativo para o cofre dos bombeiros e que, por isso, a Associação dos Bombeiros Voluntários de Freamunde deveria, desta forma, significar-lhe o seu reconhecimento.
Os últimos sócios beneméritos foram Luís Carneiro Leão, de Paços de Ferreira e Joaquim Ferreira Rego, filho de Freamunde, que na altura estava ausente nos Estados Unidos do Brasil. A aprovação foi a 13 de Janeiro de 1952 e no primeiro caso pela "valiosa oferta de uma sirene para o quartel" e, no segundo, por haver oferecido para o cofre desta associação a quantia de mil escudos. Na carta da assembleia-geral não há qualquer referência, porém foi aprovado na última reunião de direcção de 1951, ocorrida no fim de Dezembro, que junto com os últimos dois beneméritos referidos fossem também aprovados como tal as madrinhas do pronto-socorro e da ambulância que haviam sido benzidas em Setembro anterior, respectivamente Jeny Coelho Meireles e Isabel Barbosa, pela oferta de 2500$00 cada.
JOÃO VASCONCELOS - "BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE FREAMUNDE - 75 ANOS" - JUNHO DE 2005

Nenhum comentário: