segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Banda de Freamunde - quase 200 anos a dar-nos música

À CONVERSA COM LUÍS REGO
A Banda de Freamunde é uma das associações mais antigas do concelho de Paços de Ferreira, sendo 1822 o ano apontado para a sua fundação, de acordo com algumas fontes que nos levam até ao segundo quartel do século XIX, portanto estamos perante uma instituição quase bicentenária, que, no entanto, revela uma vitalidade de fazer inveja à juventude mais azougada da actualidade.
Fomos até Freamunde para conhecer melhor esta “jovem bicentenária/quase” e ninguém mais talhado para nos ciceronear que Luis Rego, o popular Lula, actual Presidente  da Direcção, um freamundense dos quatro costados, que transpira bairrismo por quantos poros o seu corpo tem, e nos fala de coração aberto da Banda, da sua componente popular, da qualidade de músicos e maestros, do empenho dos  dirigentes ( o Zé Maria quase lhe arranca uma lágrima), do seu prestigio no Norte do Pais e mesmo além fronteiras, da tuna, da escola de música, da Gandarela (Ah! A Gandarela!), dos apoios, das dificuldades e das ambições (sempre renovadas).
Fomos até às Escolas de Santa Cruz, mesmo junto da tão cantada Fonte do Agrelo, donde brota a água com o supremo condão de grudar, definitivamente, quem dela bebia/bebe, ao chão freamundense (o modernismo da água canalizada da AGS acabou com este romantismo todo), alegramo-nos/entristecemo-nos por “ver” um velho amigo, daqueles que conseguem libertar-se da lei da morte, ali firme, esculpido por mãos com a alma do húmus comum, e muito tristes continuamos com a degradação da fachada do prédio e do abandono e incúria do espaço envolvente.
O Luis esperava-nos nas traseiras do edifício e lá nos conduziu para a sede da Banda. Então voltámos a sorrir e o caso não era para menos. Entramos na Biblioteca e pudemos ver largas centenas de livros, de variados géneros desde a poesia ao direito, doados por José Carlos Vasconcelos, um dos maiores freamundenses (se não mesmo o maior freamundense, de todos os tempos) no campo da cultura, do jornalismo,do Direito e da intervenção cívica. Passamos ao Museu, onde apreciamos os inúmeros factos da memória bicentenária da instituição e terminamos a visita na sala de ensaios, que nos maravilhou pelas excelentes condições acústicas de que dispõe, fruto da aplicação, no tecto e nas paredes, da mais avançada tecnologia.
Depois, foi uma longa conversa, de que vos deixamos os tópicos que nos pareceram mais interessantes.
Entrada de mulheres na Banda
A entrada de Mulheres na Banda de Freamunde deu-se no dia 24/04/2014 no concerto do 25 de Abril, promovido pela Câmara Municipal de Paços de Ferreira e pela junta de Freguesia de Freamunde. Nesse concerto foram apresentadas as duas primeiras mulheres a ingressarem na Banda: Raquel Pedra e Patrícia Martins.
Concertos em Festas e Romarias
A Banda de Freamunde, devido à sua qualidade artística, é sempre muito solicitada. Os pedidos surgem de várias zonas do norte do País e por vezes do sul. Nem todas as cidades, vilas ou aldeias têm o privilegio de ter a nossa Banda nas suas festividades, geralmente por motivos financeiros. Neste ano em que completamos 195 anos de existência, 195 anos de atividade ininterrupta, 195 anos a elevar bem alto o nome de Freamunde e do concelho, temos um leque de festas contratadas muito bom. No concelho, atuamos em Freamunde, Ferreira e Carvalhosa. Fora do concelho temos Rio Mau (Vila do Conde), Trofa e Campeã (Vila Real) e no Minho vamos abrilhantar as bonitas festas de Fragoso (Barcelos), Vila Mou (Viana do Castelo), Forjães e Marinhas (Esposende) e Fontão (Ponte de Lima).
Alegrias e Tristezas         
Ao longo da sua existência a Banda de Freamunde viveu momentos brilhantes, tais como as várias idas a França e Espanha, a participação no Batizado Real do 3º filho de D. Duarte  e Dona Isabel, sendo a única Banda convidada, comemoração dos seus 170 anos com  reunião e  concerto de todas as Bandas Militares do País -facto inédito- a festa de homenagem ao maestro Manuel Abreu Neto, o titulo de Instituição de Utilidade Pública, a comemoração dos 190 anos com a publicação do livro do historial da Instituição e a inauguração das atuais instalações. Acontecimento muito triste deu-se em 15/09/1919. Quando a Banda de Freamunde se dirigia com destino a Castelo de Paiva para tocar numa festa que ali se realizava, em Senradelas-Penafiel, a camioneta que transportava os músicos despenhou-se numa ribanceira, tendo morrido um dos executantes de seu nome José Ferreira Rego de 39 anos e ficando feridos quase todos os restantes.
Colaboração da Banda com a Terra
A Bande de Freamunde sempre teve uma relação privilegiada com a sua terra merecendo por isso o carinho de todos os Freamundenses. As suas atuações em acontecimentos que marcam etapas da nossa história coletiva, foram sempre uma nota importante que importa salientar. É que em colaborações várias como dos aniversários da elevação a Vila e Cidade, das instituições como os Bombeiros Voluntários de Freamunde, o S.C. Freamunde, a Associação dos Socorros Mútuos Freamundense, o Grupo Teatral de Freamunde, em Festas religiosas e Procissões, em inaugurações como do Centro Escolar e da Escola Secundária, em Festas de Homenagem, na toponímia das ruas, etc, a Banda foi uma presença constante, fator de embelezamento cultural e de união.
Projectos
Continuar a trabalhar afincadamente para que o bom nível da banda se mantenha (se possível melhorar ainda mais), contratar festas, manter a maioria da estrutura e o bom ambiente que existe, apoiar a Tuna e dar muita atenção e carinho à nossa Escola de Música, além de outras ideias que estão na nossa mente.
Dificuldades financeiras
Existem muitas e variadas, mas felizmente temos a situação mais ou menos controlada, apesar de eu ser um credor habitual. Há alturas em que o dinheiro não chega para certos compromissos e, nessa ocasião tem de haver alguém que abra os cordões à bolsa e não é qualquer um que faz isso, para mais nos tempos que correm. No ano passado a Banda estreou um novo fardamento na Festa de Santo António e como não havia possibilidades financeiras, fui eu, com muito prazer, que o ofereci.
Direcção = paixão e disponibilidade
É preciso sobretudo ter muita paixão, viver o seu dia a dia e ter muita disponibilidade de tempo. Uma Instituição como a Associação Musical de Freamunde já requer tempo e muita dedicação, pois há sempre vários assuntos a tratar em determinados momentos do dia e tem de haver diretores disponíveis. Na atual direção estamos todos livres.
Actual direção vai concorrer às próximas eleições
Felizmente a nosso trabalho é reconhecido por todos os que gostam desta vetusta Associação. Os sócios, músicos e até a própria Cidade tem elogiado o nosso valioso trabalho. Notamos através de várias conversas que querem a nossa continuidade. Com uma ou outra alteração na composição da lista, vamos concorrer às próximas eleições. Freamunde não se pode dar ao luxo de acabar com uma Associação Histórica. Temos a obrigação e o dever de a manter.
JORNAL "GAZETA DE PAÇOS DE FERREIRA" - EDIÇÃO DE 31 DE AGOSTO DE 2017

Nenhum comentário: